Blog do Avallone

Palmeiras, sinal de perigo. Fla e Inter ainda sonham

Roberto Avallone

1- Pode ter sido apenas um pesadelo, apenas uma impressão de que o castelo de sonhos poderia ruir- como ingredientes, tínhamos, por exemplo, o temporal e a ventania que assustaram Londrina.Tanto que, seguro, o matemático Tristão Garcia, do site Infobola, ainda credita ao Palmeiras 95 por cento de chances de conquistar o título, cabendo, segundo as contas. 4 por cento ao Flamengo e apenas 1 por cento ao Inter.

São possibilidades. Pois que, a olho nu, números à parte, o que se viu no empate de 1 a 1 entre Paraná e Palmeiras, foi um dos piores jogos desta era de 20 jogos de invencibilidade de Felipão no Campeonato Brasileiro. Pensando bem, talvez o pior. E chegou ao ponto de o empate ficar de muito bom tamanho para os palmeirenses, diante de um já rebaixado Paraná. agora um time de jovens velozes e sonhando com a fama futura.

O que pode ser, além de um pesadelo ou de uma performance infeliz, um sinal de alerta, de perigo,pois não sei se a equipe de Felipão- em caso de repetição- seja capaz de resistir até mesmo às limitações técnicas do América Mineiro( que neste domingo bateu o Santos, 2 a 1), do Vasco da Gama(em São Januário) ou do Vitória- os três e últimos adversário do Palmeiras na competição, as três equipes lutando contra o rebaixamento.

Sinceramente, não  creio na repetição do pesadelo de Londrina. Mas também não sei explicar as causas das falhas da defesa do Palmeiras, como também nem ouso achar que é falha da memória ao não me lembrar de uma jogada sequer de Lucas Lima. meia badalado; ou de alguma jogada mais efetiva de Borja- perdeu duas chances claras- ou do centroavante que o antecedeu, Deyverson, ambos atacantes de ofício, mas que nada fizeram na prática.

O Palmeiras fez um péssimo jogo. E os meninos do Paraná,velozes, deixaram no ar e no campo a sensação de o time poderá sonhar mais na próxima temporada. E então, ou o Palmeiras volta a jogar como já fez durante a bela campanha ou essa longa invencibilidade, como diz sabiamente Felipão, '' Não valerá nada se o título não vier, Nada!''.

Concordo com Felipão. Esperemos, então, a linguagem do campo.

2- Mesmo atuando com dez jogadores após a expulsão de Paquetá, o Flamengo venceu o Sport, no Recife, por 1 a 0, gol de cabeça de Arão; por sua vez, jogando contra o Botafogo que anda temível nas últimas partidas;o Inter perdeu de 1 a 0, gol do atacante Erick, emprestado pelo Palmeiras ao clube carioca.

Com esses resultados, o Fla- que era o terceiro colocado- virou o vice da competição, a cinco pontos do líder Palmeiras; e o Inter, que era vice, agora está na terceira posição, a seis pontos do Palmeiras. Inverteram-se, pois, as posições. Números à parte, acredito que o Fla tenha mais time e um elenco mais farto para as devidas reposições , embora os três adversários que lhe restam sejam mais perigosos: o Grêmio, no Rio, e o Cruzeiro, no Mineirão, por exemplo.

Enfim, além dos números, o suspense da linguagem do campo é o que intriga como será essa reta final da competição.