Blog do Avallone

Palmeiras vence o Santos e é o líder geral. Corinthians, sem sustos
Comentários 7

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

1- Ao vencer o Santos, por 2 a 1 (gols de Antonio Carlos, Borja e Renato), diante de um público de quase 38 mil pagantes em sua Arena, o Palmeiras confirmou não só a liderança de seu grupo como também a de líder geral do Campeonato Paulista: com aproveitamento de 100 por cento, cinco triunfos em cinco jogos, o Palmeiras tem 15 pontos, com dez gols marcados e três sofridos.

Não poderia ter sido melhor o começo de Roger Machado como técnico da equipe.

Quanto ao clássico em si, diria que o Palmeiras venceu o Santos com autoridade, sem passar por grandes sustos, embora não tenha exibido um futebol extraordinário. Mas foi suficiente. No começo, a equipe de Roger encurralou o Santos, fez gol logo aos dois minutos (Antonio Carlos, de cabeça) e mandou uma bola na trave esquerda de Vanderlei, através de magistral cobrança de falta, quase sem ângulo de Lucas Lima.

Esse furor durou pouco mais de dez minutos. Depois, ah, depois o Palmeiras levou o jogo em ''banho maria'' e deixou o Santos ter posse de bola e avançar na tentativa do empate. Só que o Santos se ressentia demais velocidade, de talento individual e pouco ameaçou Jaílson, a não ser em cabeçada certeira que obrigou o goleiro do Palmeiras a fazer ótima defesa. Só.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou mas aceso, desperdiçou boa oportunidade com Borja, mas ele mesmo, Borja, marcou o segundo gol com apurado senso de oportunismo e finalização: Willian ensaiou grande jogada, passou por dois marcadores  e quando deu toque largo para passar pelo terceiro, Borja aproveitou a brecha e chutou de surpresa, no canto esquerdo de Vanderlei. 2 a 0.

Depois disso, no entanto, o Palmeiras voltou a adotar a cautela, com Felipe Melo em fase impressionante e disposto a cortar tudo, mas o Santos decidiu atacar com tudo.Sem êxito, no entanto, a não ser no gol marcado por Renato, que teve origem em jogada irregular: a bola tinha saído de campo, claramente(seria escanteio), mas isso não foi observado pela arbitragem; a jogada continuou, com centro da esquerda para cabeçada fatal de Renato. 2 a 1.

Roger fez algumas mexidas como Keno no lugar de Dudu(que não estava inspirado), Bruno Henrique no lugar de Tchê- Tchê e Scarpa ocupando, no fim, o lugar de Lucas Lima-este, voltando a fazer boa partida; o Santos teve omo principal tentativa, a entrada de Rodrygo, menino de 17 anos e candidato a xodó da torcida santista.

Não aconteceu mais nada importante. O Santos não tinha força ofensiva e o Palmeiras controlou o jogo, garantindo a vitória no clássico e a liderança absoluta.

Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

2- O Corinthians conseguiu tranquila vitória sobre o Novorizontino, na casa do adversário;Foi só 1 a 0, gol de cabeça do zagueiro Pedro Henrique. Mas o placar poderia ter sido mais amplo já no primeiro tempo, pois antes de inaugurar o marcador, Rodriguinho já tinha perdido gol feito e Júnior Dutra, pela esquerda, em arrancada, também perdera boa chance por ter chutado muito fraco, cara a cara com o goleiro.

Valeu pela vitória, no entanto, para o Corinthians. Com o triunfo o Corinthians chega aos 12 pontos, com folgada liderança em seu grupo e na vice- liderança geral do Campeonato Paulista,t rês pontos atrás do Palmeiras.


Palmeiras e Santos, uma história de muitos gols
Comentários Comente

Roberto Avallone

Os tempos mudaram, os nomes são outros. Mas nada que apague o brilho desse duelo entre Palmeiras e Santos, uma batalha quase sempre marcada pelo estilo acadêmico dos palmeirenses e pelo DNA ofensivo dos santistas. Agora, é claro, fala-se de como será Lucas Lima, jogando pelo Palmeiras, contra o clube que defendeu durante quatro anos, o Santos. Ou se Gabigol- que deve ser opção no banco de reservas- entrará em campo mesmo que seja durante a partida, a defender a equipe onde já se deu muito bem.

Antes, no entanto, ah antes eram outros os protagonistas; Mas cada clássico!  Já teve, simplesmente, Pelé – o maior de todos- contra Ademir da Gia, o Mestre; Pepe contra Djalma Santos. Mengálvio contra Chinesinho e daí por diante. Como são tantas as histórias e que dariam facilmente um livro, vou me limitar apenas a alguns episódios:

1- Santos 7, Palmeiras 6. Torneio Rio São Paulo de 1958; Foi empolgante a marcha da contagem. No Pacaembu lotado, o Santos saiu vencedor do primeiro tempo por 5 a 2. Na etapa final, porém, algo de inusitado aconteceu: liderado por Mazzola, o Palmeiras virou a partida para 6 a 5. Inacreditável! Mas o Santos, no finalzinho, recuperou a vitória, com dois gols de Pepe- este, apelidado ''o canhão da Vila!

 

Pepe, o  segundo maior artilheiro da História do clube, com405 gols marcados. O artilheiro, é claro,é Pelé.

2- Palmeiras 6, Santos 0, em plena Vila Belmiro. Essa goleada aconteceu em jogo válido pelo Campeonato Paulista de 1996, quando o Palmeirenses- dirigidos por Vanderlei Luxemburgo- foram aos campeões paulistas e marcaram mais de 100 gols. O time era que do ataque de Muller, Dlalminha, Luizão e Rivaldo. Meu Deus!

3- Santos 3, Palmeiras 0. Pelo Campeonato Paulista de 1969. Vi este jogo, no Parque Antártica. O Palmeiras confiava muito em Ademir da Guia e no goleador argentino Artime, mas quem f ez a festa foi o Santos, pois tinha Pelé em noite de Pelé.O Santos acabou sendo o campeão paulista, aliás, tricampeão- 1967. 68 e 69.

4= Palmeiras, o fim da fila. Como não conquistava o Campeonato Paulista desde 1950, as finais do Campeonato de 1959, tinham para o palmeirense um sabor muito especial. E logo contra o Santos de Pelé. Foram três os jogos finais, em janeiro de 1960, valendo pelo título de 1959, é claro: no dia 5 de janeiro, uma terça-feira à tarde, empate de 1 a 1; no dia 7, outro empate, 2 a 2; e, finalmente, no dia 10 de janeiro, a decisão com vitória do Palmeiras por 2 a 1, com Pelé abrindo a contagem, Julinho empatando- de pé esquerdo, que não era o seu forte- Romeiro desempatando, aos 3 minutos do segundo tempo, em magistral cobrança de falta Palmeiras 2 a 1. Palmeiras campeão!

Que neste domingo, Palmeiras e Santos honrem a História deste clássico. E que façam muitos gols.


O Palmeiras 100 por cento, E Rodrygo,o novo xodó do Santos
Comentários 3

Roberto Avallone

1- O Palmeiras não é 100 por cento apenas pela bela campánha que vem fazendo no Campeonato Paulista, com quatro vitórias em quatro   jogos, oito gols a favor e dois contra, aproveitamento  total; é 100 cento também por estar jogando bem, contrariando a premissa de que não se joga bem no início de temporada, e também tem forte elenco com jogadores que,quando entrarem na equipe(tipo Moisés, Gustavo Scarpa e Diogo Barbosa) certamente irão melhorar ainda mais o desempenho da equipe.

Neste domingo, por um exemplo, diante do Bragantino, mesmo atuando  em Bragança Paulista, foi um verdadeiro passeio. O Palmeiras dominou o jogo inteiro e a vitória de 2 a 0- gols de Keno e Dudu- este, autor de um golaço- não reflete exatamente como foi a partida, pois Jaílson não teve trabalho e os atacantes do Palmeiras- especialmente Borja desperdiçaram vários chances.

( Quanto a Borja, uma curiosidade: ele lutou como um guerreiro, fez  até algumas jogadas interessantes, mas continua pecando naquela que era sua especialidade no Nacional de Medellin- no arremate, na arte de empurrar ou chutar a bola para as redes. Não foi esse o motivo que o fez ser contratado por mais 30 milhões de reais?)

Se por um lado, o artlheiro não funciona, por outro lado a exibição dos meio- campistas Felipe Melo e Lucas Lima chegam a encantar. pela categoria que vêm demonstrando, inclusive nessa vitória  contra o Bragantino. Na opinião deste blogueiro, foram, Felipe e Lucas, os melhores da partida.

No próximo domingo, o Palmeiras terá um sugestivo clássico com o Santos,o maior teste da temporada até agora. E, provavelmente a Arena palmeirsnse estará lotada

.2- Rodrygo- com y mesmo-, 17 anos, novo xodó da torcida santis, mais uma vez salvou o Santos na noite de domingo, no Pacaembu. Não fosse ele a marcar, de cabeça, o gol aos 45 minutos do segundo tempo e o Santos teria saído derrotado pelo Ituano, que vencia por 1 a 0. Acabou em 1 a 1.

No primeiro tempo, o Ituano jogou muito melhor, chutou mais vezes a gol. O Santos estava mal. A torcida começou a clamar por Rodrygo, que só entrou no segundo tempo. Mas teve minutos suficientes para driblar, arrancar e marar o seu gol. Talentoso, não precisou de muitos minutos,

Assim como aconteceu no meio da semana, em Campinas, diante da Ponte Preta, quando também jogou pouco  tempo e, mesmo assim, marcou, já nos acréscimos, o gol que deu a vitória ao Santos- de virada- contra a Ponte Preta.

Será Rodrygo, a nova  sensação entre os Meninos da Vila?


Só para variar, o Corinthians venceu o São Paulo
Comentários 1

Roberto Avallone

1- Já faz um bom tempo que o Corinthians não perde para o São Paulo, qualquer que seja o estádio, Coisa para dez ou onze jogos, pois não tenho  em mãos a estatística, apenas a lembrança do que virou rotina. Desta vez, foi no Pacaembu, com quase 32 mil pagantes, praticamente todos corintianos, pois foi clássico de torcida única  e o mando do jogo era do Corinthians.

O placar apontou Corinthians 2, São Paulo 1, Sendo que Jadson marcou logo no primeiro minuto de jogo, após passe de Rodriguinho.  Aos poucos o São Paulo melhorou, acertou chute na trave, em belo chute de Shaylon, e logo depois empatou, com Brenner. Seria quebrado o jejum? Qual o quê. Eis que, após uma cobrança de escanteio, Balbuena saltou ao terceiro andar e- sozinho- pois Anderson Martins nem o incomodou, mandou, de cabeça o fundo das redes.

Corinthians, 2 a 1

( Apenas como lembrança: este foi o décimo gol de Balbuena com a camisa do Corinthians que o torna zagueiro-artilheiro. E só neste Campeonato Paulista já fez dois.Tem sido um dos pilares da equipe).

Como o primeiro tempo foi muito bem, esperava-se uma etapa final empolgante. Não foi. O Corinthians apurou a marcação, fechou os espaços, e o São Paulo, embora tivesse a posse de bola não apresentava nenhuma criatividade e pouquíssima velocidade. Tipo da posse de bola inútil. Os amigos querem um exemplo? Pois lá vai:Cássio não foi obrigado a fazer nenhuma defesa difícil sequer na etapa final. Foi uma tranquilidade só.

Contribuiu muito para falta de eficiência tricolor a atuação de Diego Souza que, perdão, não me convence quando joga de ''falso 9''. Ele atua muito melhor como meia-atacante, que foi sua posição durante muito templo.

Para consolo dos torcedores do São Paulo, este é um problema que está sendo corrigido: o tricolor acertou a contratação de Tréllez, centroavante de ofício, colombiano de 28 anos, pagando ao vitória 6 milhões de reais por 70 por cento do passe. Tréllez marcou dez gols no Brasileirão do ano passado.

Pode dar certo.

 


Palmeiras, de virada. O Santos, também. E vem aí O Majestoso
Comentários 2

Roberto Avallone

Foto Divulgação

1-  Começo a contar a virada do Palmeiras às avessas:por Jaílson, goleiro que ao defender um pênalti, quando o jogo estava empatado, livrou a equipe palmeirense de uma situação complicada, pois o segundo tempo corria para seus minutos decisivos e se a bola entrasse, sei lá como seria o placar do jogo.

E não foi uma defesa qualquer, pois Rodrigo Andrade executou bem a cobrança.Bola rasteira, mais para o canto esquerdo.Ah, mas Jaílson esticou-se todo, rebateu e, além disso, postou-se muito bem para defender também o chute de Nininho, no rebote. Defesaças!

Se Jaílson foi importantíssimo, o Palmeiras contou com ele e com outro herói inesperado, Thiago Santos, autor dos dois gols, o primeiro aos 44 minutos do primeiro tempo e o segundo aos 42 minutos da etapa final. Thiago Santos, respeitado por sua eficiência defensiva, transformou-se no tacante mais perigoso do time. Foi o goleador.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

(No primeiro gol de Thiago Santos, houve polêmica,. A olho nu, tudo parecia normal, com Thiago se adiantando  em basca da bola  muito bem alçada por Lucas Lima em cobrança de falta.  No replay da tevê, no entanto. embora não tenha detectado o momento de Thiago estar à frente- o impedimento se caracteriza no momento do lançamento-a impressão que se teve foi a de que jogador palmeirense estava adiantado, em impedimento. Questão de centímetros, de detalhes. (Mas ficou a dúvida)

No segundo gol, o da vitória, já no finzinho, tudo foi claro. Thiago Martins surgiu pela direita, como se fosse um ponta e cruzou rasteiro para área para o outro Thiago concluir e garantir os três pontos. De virada, pois foi o Red Bull quem abriu a contagem, com centro da esquerda e cabeçada certeira de David.

Bem.resumindo:o Palmeiras não foi bem no primeiro tempo, melhorou na etapa final (perdendo, inclusive alguns gols), mas não chegou a exibir um futebol capaz de convencer ou de vencer o Red Bull com facilidade. Ficou devendo. Destaques óbvios para Jaílson e Thiago Santos,  além de Lucas Lima que, mesmo jogando menos do que na estréia, atuou bem no quesito de passes e cruzamentos precisos.

Foto: Ivan Storti | Santos Futebol Clube

 

2- Vi os gols de Santos 2, Ponte Preta 1, em Campinas. Vitória muito importante, de virada ( a Ponte saiu na frente, com Léo Artur) e fora de casa, redimindo-se da derrota na Vila para o Bragantino. Os gols do Santos foram marcados por Sasha (ex- Inter de Porto Alegre) e por um menino de nome Rodrygo- com y mesmo-. que fez o gol da vitória no último lance do jogo. Detalhe: Rodrygo tem só 17 anos.  E ousadia parece que não lhe falta.

3-  Teremos por aqui, neste sábado, no Pacaembu, um clássico que sempre impõe respeito; ''O Majestoso'', como foi apelidado pelo saudoso jornalista Thomas Mazzoni,o duelo envolvendo Corinthians e São Paulo, clássico de muitas histórias.

Desta vez, ambos vêm de vitória: o Corinthians venceu a Ferroviária, de virada, por 2 a 1, enquanto o São Paulo- que disputou bem segundo tempo-ganhou do Mirassol por 2 a 0, em partida que marcou o primeiro gol  de Diego Souza com  a camisa tricolor e a figura  impressionante do goleiro do Mirassol, Fernando Leal, que evitou um placar mais amplo a favor do São Paulo.

O clássico vale mais por sua rivalidade, é sabido. Mas não deixa de ser O Majestoso.


Dudu fica no Palmeiras. E o gol (mal) anulado na derrota do Santos
Comentários 3

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

1- Dudu ficará no Palmeiras, sim.Foi o que me disse uma boa e confiável fonte,acabando, acredito, com a dúvida sobre a permanência do capitão do time, diante da polpuda oferta do futebol chinês. E ficará pela própria vontade do jogador e também pela decisão da direção palmeirense que, entre o dinheiro e o desejo de preservar as totais condições da equipe- que começou bem o Campeonato Paulista- optou por agregar as peças importantes do elenco.E Dudu tem sido importante nestes seus três anos de clube.

Por outro lado, segundo apurou o blogueiro, embora importante e capitão do time, Dudu teria ouvido que no Palmeiras ninguém é intocável e que os jogadores- titulares ou não- estão  sujeitos a serem escalados ou não, substituídos durante o jogo ou não. A grande preocupação em elenco farto é a de manter um ''vestiário'' (como se usa dizer agora) em perfeita harmonia, sem espaço para qualquer tipo de melindre indevido.

Não vi a cena, mas gente que viu, me disse que Dudu teria saído insatisfeito ao ser substitiído aos 25 minutos do segundo tempo na partida contra o Santo André. O que não teria caído bem nos bastidores. Nem sei se houve algum tipo de desdobramento a respeito. E também acho natural um jogador ficar aborrecido ao ser substituído a 20 minutos do fim do jogo.Qual o jogador que gosta de sair?

Desde , é claro, que não prejudique o ''vestiário''.Que não deve ter sido afetado- e o técnico Roger Machado tinha razão na atitude, pois que, com entrada de Keno(que fez até gol e chutou bola no travessão), o ataque ficou mais veloz e eficiente.

De qualquer maneira, sem que se saiba de qualquer outro problema e detalhe, a vontade do jogador em permanecer e a o questionamento da direção sobre o desejo do atleta foram suficientes para dirimir dúvidas.

E para comemorar, silenciosasente, o o dia do ''fico!''

2- Não deu para assistir ao jogo, mas deu, mais tarde, para ver e rever o lance do gol anulado do Santos contra o Bragantino, marcado ´por Arthur Gomes. Gol legal! Gol mal anulado! E não é nada, não é nada, poderia ter mudado a  história do jogo em que o Santos, mesmo atuando na velha e romântica Vila Belmiro, foi derrotado pelo Bragantino por 1 a 0 , gol do zagueiro Mattis.

O Santos não perdeu apenas pelo gol mal anulado de Arthur Gomes, pois teve outros,problemas como, por exemplo, Rodrigão ter desperdiçado ima cobrança de pênalti(discutível). No último minuto da partida.

Acontece…


Dudu: sairá do Palmeiras? E mais: Borja; a goleada do Corinthians…
Comentários 7

Roberto Avallone

Foto: Divulgação

1- Passo a bola de primeira, como a recebi. Estava almoçando em um restaurante da Joaquim Eugênio de Lima, nesta tarde de domingo, quando surgiu uma doce e conhecida figura de várias décadas, um senhor de 71 anos, muito ligado ao futebol e que, palmeirense, acumula dez mandatos de conselheiro do clube.  E entrou falando para este blogueiro: ''Vão vender o Dudu para a China, é muita grana!

(Segundo ele,  51 milhões de reais).

Já ouvi rumores sobre esse assunto e é sabido que a proposta existe- não sei se exatamente por essa quantia- a oferta de salários para o jogador foi aumentada, coisa e tal. Isso já é sabido ,já declarado publicamente;a novidade é que o Palmeiras pode considerar a oferta. Pode eu disse, não cravo. E nem tenho confirmação oficial.

Quanto a Dudu, é evidente, teve uma passagem marcante pelo Palmeiras. autor de gols decisivos e importantes (como na decisão da Copa Brasil, em 2915 quando marcou os dois gols contra o Santos). guerreiro, capitão do time e tudo o mais. Claro que é importante.

Nos últimos meses, no entanto, por coincidência quando foi convocado pela Seleção Brasileira e depois não mais,o rendimento de Dudu não tem sido o mesmo, às vezes parece disperso, exagera nos toques de calcanhar, dá a impressão de não estar na posição adequada.Por coincidência, também, soube que a primeira proposta surgiu em outubro do ano passado e muito dinheiro pode mexer com o emocional do jogador,embora ele sue a camisa e faça o que pode em campo. Não se trata, fique bem claro, de esmorecimento.

Neste ano, já sob o comando do técnico Roger Machado. na última quinta-feira, foi substituído aos 25 minutos do segundo tempo,aparentando estar insatisfeito com isso. Normal: qual jogador gosta de sair? Em seguida, na tarde deste domingo, em Ribeirão Preto, jogo contra o Botafogo, Dudu perdeu três chances claríssimas para fazer gol, uma delas depois de driblar o goleiro; uma outra, ao tentar marcar de calcanhar e a terceira quando, cara cara, chutou mal, de canhota,longe do gol.

Fez é verdade, um inteligente corta-luz para o gol de Borja. E um ou outro drible.Pouco, no entanto, para um jogador como Dudu, especialmente o Dudu dos bons e gloriosos tempos. Não sei qual a razão, pode ser começo de temporada, fase não muito feliz. Por quê não? Só que a queda de rendimento já vem de um tempo para cá, o que deixa em dúvida se ele já cumpriu o seu ciclo (com brilho) no clube ou se é questão de paciência e compreensão, sabendo-se que uma bolada de grana- chinesa ou não- pode mexer com o emocional de um futebolista, cuja carreira geralmente não é muito longa.

Ele tem 26 anos.

Aí, já nada tenho a ver com isso ou quanto ao desfecho do caso. Apenas passo ao internauta o que ouvi. E não param por aí  os rumores.

Que o Palmeiras e Dudu decidam o que há de melhor a fazer.Situação mais do que normal.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

2- Borja foi recompensado com gol que marcou e deu a vitória ao Palmeiras sobre o Botafogo. 1 a 0. Premiado pelo oportunismo e pela incrível dedicação durante a partida: correu o tempo inteiro, esteve meio-campo, na defesa e no ataque, como se fosse o jogo de sua vida.

Até sair, aos 25 minutos do segundo tempo, provavelmente muito cansado, substituído por Keno.

Borja está com uma vontade impressionante! Merece receber mais bolas adequadas para finalizar e ser o artilheiro que foi no Nacional de Medellin.

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

3- E o Corinthians goleou! Goleou o São Caetano, que optou por jogar no Pacaembu, por indesmentíveis e justos 4 a 0- dois gols de Jadson- um bonito e o outro meio que ''sem querer''-, um de Júnior Dutra(que entrou muito bem, no segundo tempo, no lugar de Kazim) e o outro de Angel Romero, este um dos mais dedicados jogadores que vi ao longo de minha carreira.

Pronto: o Corinthians está reabilitado de sua derrota para a Ponte Preta, no meio da semana, colocando-se em ação pela classificação e pela tentativa do bicampeonato paulista. Só que, alertar é preciso, ainda falta, no mínimo um ótimo centroavante de ofício, capaz de fazer esquecer as façanhas de Jô. Quanto às novidades, gostei do lateral-esquerdo Juninho Capixaba e do versátil atacante Júnior Dutra- este, autor de um gol, que quase fez outro, que seria de letra.


São Paulo: vários protestos, nenhum gol.E o Ceifador fora do Flu
Comentários 2

Roberto Avallone

1- Nem a estréia de Diego Souza- disputou o segundo tempo e nada fez de marcante- foi capaz de atrair o torcedor do São Paulo para o confronto com o Novorizontino, no Morumbi: pouco mais de 17 mil torcedores estiveram no estádio, sem que tenham visto o tricolor jogar bem, vencer, ou fazer pelo menos um gol. O a O, justo e com louvor!

Antes do jogo, nos arredores do Morumbi foram vistas várias faixas de protesto, com os torcedores e seu pedido habitual quando as coisas não vão tão bem- '' Queremos Jogadores'' e '' Cadê  os reforços?'' é o que se lia,  o que não chega a ser surpresa, diante da má temporada do ano passado e da saída de Hernanes e Lucas Pratto; embora tenham sido contratados Diego Souza  Anderson Martins, o goleiro Jean.

Ainda é pouco, pois não?

Em campo, embora o São Paulo fosse mais ofensivo, na média vou- se um jogo equilibrado, com o Novorizontino dando a impressão de estar mais preparado fisicamente(o que é normal neste começo de temporada, em que os grandes, como o São Paulo, se apresentam depois para a pré-temporada. Foi um jogo duro, com um gol anulado para cada lado(corretamente), uma incrível chance perdida pelo Novorizontino por Juninho- que driblou o goleiro Sidão mas não impediu que Rodrigo Caio salvasse em cima da linha) e um suposto pênalti não marcado para o São Paulo, muito discutível a olho nu. Só um árbitro de vídeo poderia colocar a fim à polêmica em lance que não garantia convicção.

O que ficou marcado é, embora, na minha opinião, tenha bons jogadores- Rodrigo Caio, Jucilei, Diego Souza, Cueva, por exemplo- o tricolor pode demorar, ainda, para exibir um futebol mais vistoso e mais veloz.Eu disse Cueva como bom jogador, é verdade, mas aquele Cueva que já atuou muito bem pelo tricolor e não esse jogador que ,neste sábado à noite, não jogou nada.

E a verdadeira estréia de Diego Souza, pelo que ele(não) mostrou no segundo tempo que disputou. ainda está para acontecer. Acontecerá, creio.

2- Foi o técnico Abel Braga quem revelou após o empate do Fluminense com o Botafogo, 0 a 0: foi o próprio Henrique Dourado que pediu para não jogar o clássico- e realmente não jogou- '' por não estar com a cabeça para isso, pois quer mesmo ir embora do Flu e que sua situação de saída já está definida''

Não falou para quem.

Quer dizer:  a menos que as coisas mudem- e no futebol também mudam muito- Henrique Dourado, artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2017, lado de Jô(ambos com 18 gols), não jogará mais pelo Flu.E o primeiro clube que vem à cabeça é o Corinthians, que já se interessou pelo centroavante e depois recuou.

Só que o Corinthians tem as eleições marcadas para fevereiro, precisa substituir Jô, e se não for agora, pode ficar para depois do pleito. Sei lá. Não pode ser?

Dizem que há outros clubes interessados em Henrique- até do Exterior-, mas por palpite- e, vá lá,por dedução- acredito que Henrique Dourado, agora ou daqui a um tempinho, será do Corinthians.


Lucas Lima: golaço e belo futebol, na vitória do Palmeiras
Comentários 3

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Sempre gostei do futebol de Lucas Lima, meia dinâmico e versátil. Confesso, no entanto, que ele foi além do que eu esperava, por ter sido sua estréia no Palmeiras e ter vindo da pré- temporada: além de comandar o meio-campo do time, não fugiu de nenhuma bola dividida,correu o tempo inteiro e fez um golaço, o segundo do Palmeiras- da entrada da área, aproveitando uma rebatida da defesa do Santo André, acertou um violento e certeiro ''sem-pulo'', com a categoria de não deixar a bola cair no gramado.Lindo gol!

Além disso, exibiu seu tradicional bom passe e participou diretamente do terceiro gol- o que liquidou o jogo- ao tabelar com o veloz Keno, o que mandou a bola para as redes. Assistência pura, digna dos armadores de elite.

Lucas Lima, no entanto, não foi o único destaque na estréia do Palmeiras no Campeonato  Paulista, agora sob o comando do técnico Róger Machado: Felipe Melo, por exemplo, teve atuação muito boa, marcando firme e lançando com precisão- como aconteceu mo primeiro gol, quando fez passe longo e certeiro para Borja, que na sequência, passou para  Dudu que, de calcanhar, acertou a trave, com Willian aproveitando o rebote para abrir o placar; destaco também Borja, que se mostrou com muita mobilidade e colaborou bastante em várias jogadas ofensivas- e até defensivas, como naquele lance perto da área do Palmeiras, em que deu um carrinho para afastar a bola e o perigo.

Finalizo a escolha dos maiores destaques com Keno, que foi muito bem em 2017, pela esquerda e pela direita, coim dribles em velocidade e arremates constantes. Pois foi a entrada de Keno, no meio do segundo tempo(saiu Dudu) a fórmula para incendiar o jogo e acabar com a reação do Santo André- que já fizera um gol(João Lucas) e perdera incrível chance para empatar, com a bola batendo nas duas traves.

Resumo da ópera: sem dar show, o Palmeiras venceu o Santo André por 3 a 1 e teve estréia satisfatória no Campeonato Paulista. E daria à  equipe uma nota 7. Sem exageros. Alertando, porém, que  por seu ótimo elenco(ainda terá para entrar Moisés, Gustavo Scarpa, Diogo Barbosa, por exemplo, sem contar as especulações sobre novos reforços se necessários), o Palmeiras tem boas chances de cumprir uma bela temporada em 2018.


Corinthians, uma noite para ser esquecida. E mais: Santos, São Paulo…
Comentários 1

Roberto Avallone

1- Se não chegou a ser uma noite de horrores, agradável para o Corinthians é que não foi. Com todas aquelas ressalvas de ''começo de temporada'', no ''início é assim mesmo'', coisa e tal, a verdade é que o Corinthians foi derrotado pela Ponte Preta, 1 a 0(golaço de Felipe Saraiva) adversário que ficou muito tempo durante o jogo com 10 jogadores(o centroavante Fellipe foi expulso), apenas conseguindo ficar em igualdade numérica no final da partida com a expulsão de Romão.

O problema maior, no entanto, nem foi a derrota para um time com dez jogadores. Foi o futebol morno, sem velocidade, sem um centroavante à altura do Jô que se foi, de erros primários: até o pênalti desperdiçado por Jadson- chute para fácil defesa do goleiro Ivan- foi mal cobrado e não serve como desculpa.A Ponte Preta, rebaixada no ano passado para a Série B, ficava na dela, na manha, toda recuada, marcando do meio-campo para trás, à espera de um contra-ataque(que não vinha) ou de uma grande jogada, como aconteceu no gol de Saraiva;

Na verdade, não foi uma exibição digna do atual campeão brasileiro. Está claro que fazem muita falta as peças perdidas- Jô, Arana e até Pablo- sem que se veja um extraordinário esforço para compensar devidamente as saídas. Centroavante, então, com todo o respeito a Kazim, teria de ser para ontem ou até antes. Ah, que falta faz Jô…

Sem nada a ver com isso, a Ponte Preta foi valente e dedicada.Como prêmio, levou a vitória.

2- Foi muito feliz a estréia de Jair Ventura- filho do grande Jairzinho '' Furacão'' da Copa de 70-no comando do Santos. Mesmo tendo perdido peças importantes que estavam no ano passado- Lucas Lima, Ricardo Oliveira,etc) armou o time direitinho, sobreviveu à saída do melhor jogador da equipe(Bruno Henrique) logo no começo do jogo, fazendo entrar em campo um menino autor de dois gols e de belas jogadas(Arthur Gomes).E contou também com um golaço de Rodrigão.

Bem, com tudo isso, o Santos venceu o Linense, em Lins, por 3 a 0. Belo começo de Campeonato!

3- E o São Paulo, com seu time reserva perdeu logo na primeira rodada. Perdeu para o São Bento, em Sorocaba, 2 a 0 (gols de Anderson Cavalo e Maicom  Moura), resultado que alegra os sorocabanos e não deixa orgulhosos os tricolores. Mas, é claro, que tudo poderia ser diferente se. ao invés dos reservas, tivesse o São Paulo os seus jogadores titulares; neste caso, no entanto, a solução é mais fácil, pois Arboleda, Rodrigo Caio, Jucilei, Petros, Cueva e Diego Souza já estão no clube. Amarga foi a derrota, mas não a situação do futuro.