Blog do Avallone

O empate da Seleção foi só um alerta?
Comentários 2

Roberto Avallone

Reafirmo aqui, neste espaço, que creio mesmo na hipótese de a Seleçao Brasileira ir muito longe nesta Copa. Suas chances são verdadeiramente muito boas,.

E fica nisso, pois desde eliminação da Seleção Brasileira para a Itália, no dia5 de julho de 1982( 3 a 2 naqueles 3 gols de Paolo Rossi) não cravo mais nada em futebol, ainda mais em Copa. Nosso futebol era reconhecido como o melhor do mundo, disparado em relação  às outras Seleções,

No caso do empate com a Suiça( 1 a 1), prefiro ficar com a hipótese de um alerta, de ajustes a serem feitos- assim recebeu o tal sinal a Argentina(que enpatou com a Islândia, 1a 1) ainda com Messi perdendo pênalti; a atual campeã do mundo a Alemanha, que foi derrotada pelo México, 1 a 0… Enfim, quem jogu um futebol convincente? Talvez a anfitriã Russia, que teve pela frente a Arábia Saudita e goleou por 5 a 0.

Em termos de Seleção Brasileira, que ainda teve não marcado o empurrão de Zuber em Miranda, antes que o suiço cabeceasse para o gol, sinceramente não achei que tivesse jogado bem: achei a equipe ansiosa demais, Neymar não completando as jogadas que iniciava com dribles, Gabriel Jesus muito isolado à frente. Willian com curto espaço para desevolver seus dribles em velocidade.

Isso precisa ser corrigido- e é bem possível que Firmino(muito elogiado por Tite) passe a disputar a posição com Gabriel Jesus- este, rende mais quando tem Neymar ao seu lado, mais à frente. Embora não esteja no auge de sua forma física, Neymar terá de ser ponta-de- lança, ao lado do centroavante, fazendo o que for possível.

Bem de convincente mesmo, aconteceu o gol de Phillippe Coutinho.Mais do que um gol: um golaço, com várias exclamações. Coutinho. da entrada da área suiça, acertou um chute com muito efeito ,cheio de curvas. que parecia ir para fora, mas voltou para o fundo das redes suiças.

Ainda bem.


As limitações do Palmeiras. E Corinthians, nova derrota
Comentários 8

Roberto Avallone

1- O técnico do Palmeiras, Roger Machado, classificou o duelo de seu time com o líder Flamengo como '' Um grande jogo''.Ah, nem tanto, pelo menos na minha opinião. O Fla estava na dele, defendendo a liderança, embora tenha começado mal a partida, levando o gol (Willian) logo aos cinco minutos  e demorando quase meia hora para acertar a marcação e recuperar o controle.

Por sua vez, o Palmeiras recuou depois da vantagem obtida e foi levando em ''banho- maria''. Por acaso neste período se mais força ofensiva tivesse não seria o caso de o Palmeiras partir para cima e acabar logo com a história?

Pois não o fez e apenas no segundo tempo, durante dez minutos, o Palmeiras atacou, criou duas chances muito boas para marcar; só que aí aconteceu o que parece fatal para as limitações palmeirenses: exatamente aos 10 minutos levou o gol de empate,na cabeçada do jovem zagueiro Thuler, após cobrança de escanteio da direita.

E pronto: acabou a confiança do Palmeiras, aumentou a intensidade do Flamengo que, inclusive, desperdiçou um gol certo. A correria era muita, o futebol não. Para o Flamengo até que estava de bom tamanho, pois mantinha a liderança, chegava aos 27 pontos e iria tirar sem sustos a folga que lhe dá a parada na Copa. Ah, é bom lembrar:no fim do jogo, aconteceram 6 expulsões- 3 para o Palmeiras (Jaílson, Dudu e Luan),3 para o Fla (Jonas,Cuellar e Henrique Doraudo)

Para o Palmeiras, no entanto, a situação é outra: embora apenas um terço do Campeonato tenha sido jogado, já está a 8 pontos do líder Flamengo,tendo ainda como saldo negativo, os empates com o Ceará e a Chapecoense(este, em casa) assim como a derrota para o Sport(também em casa) servindo estes jogos apenas como exemplo, para não falar logo de cara do pior: o bom goleiro Jaílson está falhando(nem esboçou saltar na bola no lance do gol), a zaga pelo meio é inconstante, capaz de jogar uma enormidade contra o Grêmio, mas de assustar em jogo de menor importância.no meio- campo, Lucas Lima custa a ser o jogador que era(ainda confio na volta de seu futebol), Hyoran leva nota 6 ou 6,5:no ataque, Dudu segue nervoso e instável. a torcida não confia em Deyverson e o melhor do setor, Keno pode ser negociado a qualquer momento.

Não creio que Arthur e Papagaio sejam soluções para as brechas que se abrem. Fernando foi negociado por algo(para o clube )de 20 milhões de reais.

Há solução- pelo menos para a Libertadores e Copa do Brsil, já que o Brasileirão se insinua muito difícil- para resolver o problema? Não vejo outra a não ser um leque de grandes contratações, indiscutíveis, digamos umas quatro: dois zagueiros, um meio- campista e um grande atacante.

Aí, quem sabe?

2- Depois de ver Palmeiras e Flamengo, liguei a tevê para ver o duelo entre o Bahia- tão mal colocado- e o Corinthians que só tinha uma vitória desde a saída de Carille e antrada de Osmar Loss. Pois não vi o Corinthians bem, com a ressalva de que estava desfalcado, sem aquele espírito de marcação cerrada e das surpresas nos contra- ataques.

Por sua vez, o Bahia, que até tem bons jogadores, lançava-se com mais vigor ao ataque, tanto que obrigou Walter(bom goleiro!) a pelo menos três defesas de alto nível. Só que, curioso e surpreendente como sempre o futebol, não é que o Corinthians quase chegou a fazer seu gol- que, creio, lhe daria a vitória) aos 43 minutos e meio da etapa final, quando Émerson '' Sheik'' acertou a trave esquerda do Bahia. Quase entrou.

Só que gol mesmo aconteceu logo depois, aos 45 minitos do segindo tempo, através de um chutaço, indefensável.do jogador chileno Mena.1 a 0. E mais um tropeço na carreira de técnico do time de cima de um vencedor corintiano na divisão de base, Osmar Loss.


A Seleção, prontinha para a Copa. E a liderança do Fla
Comentários 1

Roberto Avallone

1- Pode parecer simplesmente o óbvio. Mas não é. O fato de a Seleção Brasileira de Tite estar pronta para a Copa, significa que encontrou o time ideal, o ponto de equilíbrio adequado, os nomes certos- coisa que não tinha, só para dar um exemplo, no primeiro título mundial conquistado, em 1958. qiando só teve os fenomenais Pelé e Garrincha,mais o guerreiro Zito, a partir do terceiro jogo ,contra a então União Soviética.

O Brasil venceu a Austria, em Viena, neste domingo. E por 3 a 0, placar incontestável, gols de Gabriel Jesus, Neymar e Phillipe Coutinho, Vencer foi uma rotina na gestão de Tite, pois,em 21 jogos, ganhou 17, empatou três e perdeu uma única partida. Quer dizer; o triunfo sobre os austríacos foi normal, parece fazer parte de um cardápio, sem surpresa ou algo ligado ao fator sorte.

Qualquer previsão sobre trazer o Hexa para cá é mero palpite.Tantos são os detalhes que podem modificar um jogo de futebol. Não é palpite, no entanto, dizer que o Brasil tem chances muito boas de conquistar o título, pois isso, muito além de uma ilusão, é uma constatação do momento.  Que pode também não acontecer.

O que mais me impressiona na Seleção de agora é a sua capacidade de atacar, tanto pelos métodos convencionais- com os homens de frente- como por arrancadas de Marcelo pela lateral-esquerda ou pela invasão à area constante de Paulinho. Quanto aos homens de frente, a Seleção tem um Neymar com fome de bola, um GabrielJesus parceiro e autor de 10 gols sob o comando de Tite, Coutinho que alterna momentos de armador com outros de finalizador e Willian.ágil, arisco e bom chutador,

Enfim, uma Seleção dura de ser batida. E difícil de ser marcada.Os ventos parecem promissores, pois não?

2- A liderança do Flamengo- 26 pontos, seis de vantagem sobre os perseguidores- não foi obra do acaso. E nem é tão pequena como pode parecer, embora das 38 rodadas que compoem o Campeonato apenas 11 delas tenham sido cumpridas.

Na verdade, essa liderança, esse '' cheirinho'' de título(que poderã não se consumar) vem sendo construída já há agum tempo, com contratações caras( Diego. Éverton Ribeiro, Réver.etc) mescladas às boas revelações da base (Vinicius Jr., Felipe Vizeu- embora estes estejam indo embora daqui a pouco) numa sugetiva combinação de experiência com juventude, aliada à paciência para que isso tudo  se transforme em bons frutos; a incrivel massa torcedora capaz de lotar o Maracanã até em um jogo contra o Paraná.

São ingredientes muito  fortes.

E para ajudar ainda mais o Fla em seus sonhos (neste domingo, o Flamengo venceu o Paraná, 2 a 0, gols de Diego e Vizeu). há sempre um inesperado tropeço ou outro de eventuais perseguidores do  Flamengo. Exemplos: o empate do Palmeiras diante do rabeira Ceará, 2 a 2, depois de estar ganhando por 2 a 0;a derrota do forte Cruzeiro para a Chapecoense, 2 a 0; o empate do Corinthians, na Arena de Itaquera com o Vitória, 0 a 0…

Há os que estão melhorando, como o São Paulo que só perdeu um jogo neste Campeonato (no sábado, venceu o Furacão. 1 a0). o Atlético Mineiro (20 pontos. que goleou o Fluminense, 5 a 2) ou o Grêmio que tam muito potencial.

Tudo isso é verdade. E 11 rodadas são poucas-diante das 38 programadas-para definir o futuro do Campeonato. Mas são úteis para que se verifique a tendência do que pode acontecer.


Palmeiras, a felicidade bateu à porta
Comentários 6

Roberto Avallone

Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

1- Foi um dia incrível. Para não ser esquecido. Para comemorar com tarantella. Pois à noite, em plena Arena do Grêmio, em Porto Alegre, fazendo um jogo quase perfeito- no mínimo, a sua melhor partida até agora no Campeonato Brasileiro-, o Palmeiras venceu o anfitrião por 2 a 0,dois gols de Willian, que, de quebra, ainda chutou uma bola na trave esquerda gremista e outra no travessão.

Foi um jogaço! O Grêmio até jogou bem, mas o Palmeiras muito melhor: em dia de superação, a defesa palmeirense mais parecia um paredão, tanto pelos lados com os laterais Marcos Rocha e Victor Luís, como na zaga central, onde Luan, pela direita e Thiago Martins pela esquerda, ah, tudo se tornava imbatível.

E seguia assim pelo meio-campo com, Felipe Melo muito seguro, Bruno Henrique exibindo a boa técnica e Moisés firme no comando, marcando e atacando. Ia em frente o Palmeiras também no ataque, com Hyoran se dividindo entre armador e jogador ofensivo, liberando Willian- o melhor do time- e Dudu, com atuação surpreendente.

Não podia dar outra: o Palmeiras venceu o forte Grêmio, convenceu e saltou para o terceiro lugar no Campeonato Brasileiro, com 17 pontos e 7 no saldo de gols. De repente, em duas partidas- as vitórias contra São Paulo e Grêmio- apagaram-se as desconfianças, digamos, de dez dias atrás, quando das derrotas para o Sport e o Cruzeiro.

O Palmeiras voltou a ser Palmeiras.

Foto: Divulgação

2- A felicidade mencionada, no entanto, começou à tarde. Mais especificamente na grande Madri, com Real Madrid e Palmeiras disputando o título de Campeão Mundial de clubes na categoria Sub- 17. No primeiro tempo, o Palmeiras deu um baile no Real, estabelecendo 3 a 0, com gols de Gabriel Silva, Verón e Fabricio, perdendo ainda algumas chances contra o quase nenhum perigo oferecido pelos espanhóis.

E no segundo tempo. O Real marcou dois gols, mas levou outro do Palmeiras, anotado por Luan Cândido, compondo o placar final- Palmeiras 4, Real Madrid 2. Palmeiras, campeão mundial na categoria Sub-17. Campeão invicto, marcando durante a campanha 29 gols e sofrendo apenas 7, tendo, ainda, o artilheiro da competição, Gabriel Verón, com 9 gols. Ah, e de quebra, Verón foi considerado o melhor jogador da competição.

Palmeiras, que dia feliz!


O líder Fla dobrou o Corinthians. E o golaço de Neymar
Comentários 2

Roberto Avallone

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

1- Em Campeonato tão longo e supostamente equilibrado, quatro pontos de diferença não é um oceano de vantagens. Ao mesmo tempo, para um começo de competição, é sim: ao vencer o cauteloso Corinthians por 1 a 0, no Maracanã, gol de Felipe Vizeu, o Flamengo, que já estava na liderança, ampliou sua diferença para os vice-líderes  a significativos quatro pontos e se insinua como um dos mais sérios candidatos ao título deste ano.

Na verdade, o Flamengo dominou quase todo o jogo, personificando o ataque e o Corinthians, a defesa. Só podia dar em vitória, no chute do ótimo Lucas Paquetá, na rebatida do goleiroWalter e na conclusão certeira de Felipe Vizeu.1 a 0. O suficiente.

E sem essa de reclamação corintiana de o árbitro, Daronco, ter acabado o jogo quando a bola estava nos pés de Roger, que poderia ter empatado.Uma das imagens, uma mais ampla, apanha Daronco levantando os braços para encerrar a partida quando a bola estava sendo rebatida por flamenguistas, antes de chegar a Roger. E o jogo terminou no tempo certo.

A virtude do Fla tem sido essa mescla da experiência (Diego, Éverton Ribeiro), com a explosão da juventude (Lucas Paquetá, Vinicius Jr. e até mesmo quando entra Felipe Vizeu- que já está negociado com a italiana (Udinese).

Quanto ao Corinthians, que perdeu três dos quatro jogos em que foi dirigido pelo novo técnico, Osmar Loss, creio que já está demasiadamente conhecido seu estilo defensivo, sem ter grandes alternativas no elenco para um futebol mais ofensivo.

E pelo andar da carruagem, mesmo em apenas nove rodadas, as primeiras colocações serão arduamente disputadas: já têm 16 pontos o Cruzeiro (que venceu o Ceará, 1 a 0, gol de Sassá, o Grêmio (que venceu o Bahia, em Salvador, 2 a 0), o São Paulo (que perdeu para o Palmeiras, no sábado, por 3 a 1) e, se o Fluminense vencer nesta segunda-feira o Paraná,irá superar a todos-menos o Flamengo,20 pontos), pois o Flu neste caso iria a 17 pontos e seria o vice líder.

Este é só um exemplo de como está ponto a ponto o Campeonato.

Foto: Reuters

2- Neymar está pronto- ou quase- para disputar a Copa do Mundo, Neste domingo, em Liverpool, eler nem jogou o primeiro tempo quando, talvez por coincidência, a Croacia foi um pouco mais perigosa. Neymar entrou no intervalo e desequilibrou: para começar, fez um golaço, bem ao seu estilo, entrando pela esquerda do aaque e, com dribles curtos,esquivou-se de dois, três marcadores, disparando uma bomba de pé direito (o que preocupava) no alto das redes croatas.

Creio que foi o mais importante nessa vitória do Brasil sobre a Croácia, 2 a 0- o outro gol foi marcado por Firmino, ídolo da torcida local, gol também de bela feitura. Quem deu a a assistência a Firmino, ou o popular passe, foi Casemiro, outro destaque da Seleção Brasileira.

A Seleção de Tite, a que cultiva o hábito de vencer.


Palmeiras, a virada que derrubou o último invicto
Comentários 7

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Desta vez, o Palmeiras foi protagonista de uma virada que empolgou a sua torcida: saiu de uma derrota no primeiro tempo para o até então invicto São Paulo (1 a 0, gol conferido a Marcos Guilherme. mas que pareceu gol contra de Edu Dracena) para uma vitória de 3 a 1, no final, mantendo a escrita do Choque- Rei no Allianz Parque- 7 jogos, 7 vitórias dos palmeirenses.

O São Paulo já não é mais invicto e o Palmeiras insinua sair da fase turbulenta, pois sei lá o que aconteceria com o técnico Roger Machado e direção do futebol se houvesse uma derrota dentro de casa. Poderia ser tudo contornado. Mas creio que aconteceriam mudanças sérias nos próximos dias.

É bom que se diga que, por estar vivendo melhor momento, o São Paulo se mostrou mais organizado e perigoso no primeiro tempo, embora fosse equilibrada a partida, com muita correria, marcação, coisa e tal, mas quase sem trabalho para os goleiros Sidão e Jaílson. Bem, quando teve trabalho, na dividida com Marcos Guilherme, no momento do gol, Jaílson saiu mal, não atacou a bola e nem salvou a falha incrível de Edu Dracena.

No segundo tempo, no entanto, jogando com raça e alma, o Palmeiras foi demolidor: fez três gols em 14 minutos- dois de Willian e outro, de cabeça, de Dudu- e poderia ter feito até mais, suportando, inclusive, a perda de Keno e Diogo Barbosa (lesionados) e de Moisés (que fez grandes lançamentos e ótimos passes!), sendo que não vi divulgada a causa da saída de Moisés, se por lesão ou exaustão.

Detalhe importante: o segundo gol do Palmeiras, marcado por Willian, até gerou polêmica. Não no campo, pois não houve reclamação que tenha sido vista e porque o árbitro estava perto da jogada em que Hyoran foi para a dividida com Militão. E aí, de quem foi o toque? Willian estava avançado, é verdade, mas não vi nenhuma imagem que mostrasse que a bola a ele alçada. veio de Hyoran ou Militão que a estavam disputando.

Por essa razão, o árbitro fica com o crédito da visão mais clara naquele momento e da interpretação. Não vou cravar o que não vi com clareza.


O São Paulo é líder. E mudanças já no Palmeiras?
Comentários 15

Roberto Avallone

1- Nenê está jogando muito; Éverton, bela contratação tricolor, não perde a chance de aproveitar a sua canhota; e Diego Souza, com muita presença, dificilmente passa um jogo sem marcar- e conra o Botafogo ele o fez de peito, machucando também o nariz, mas marcou como autêntico homem de área.

Enfim, esse trio- Nenê, Éverton e Diego Souza- levou o São Paulo á liderança provisória(o Flamengo ,nesta quinta-feira, enfrentará o Bahia, com chances de voltar ao topo da tabela) , marcando os gols da vitória do tricolor sobe o Botafogo, 3 a 2, na noite de quart-feira, no Morumbi. O São Paulo está invicto no Campeonato Brasileiro.

E seu triunfo contra os botafoguenses aconteceu de virada. Quem abriu o placar foi o Bota, com um chute de canhota de Valença, no alto das redes de Sidão: Coube a Nenê, de pênalti,empatar a partida; depois,Diego Souza marcou o segundo, ajoelhando-se para escorar o centro vindo da direita; e o mesmo Diego Souza lançou Éverton, pela esquerda, para esse bom jogador, ex- Flamengo, acertasse seu providencial chute  de esquerda. 3 a 1.

No segundo tempo, bem, nesta etapa final o São Paulo jogou mais no contra-ataque-embora sempre oferecesse perigo para o goleiro Jefferson- e levou o segundo gol do Bota, marcado por Rodrigo Pimpão, de cabeça, gol que não ameaçou de fato a sua vitória e nem a liderança conquistada, ainda que provisoriamente.

Asxsim está o invicto São Paulo, à espera do que possa acontecer com o Flamengo e na esperança de, no sábado, conquistar a sua primeira vitória em um Choque- Rei disputado no estádio do Palmeiras. Clássico atraente.

2- E O Palmeiras? Meu Deus! Tudo bem que enfrentar o Cruzeiro, ainda mais no Mineirão, não é fácil. É  perigoso. Mas um time como  Palmeiras, agora mais contestdo do que badalado, pode ficar mais de 90 minutos apenas marcando, sem oferecer nenhum momento de perigo para o goleiro Fábio, a não ser um chute de fora da área de Dudu? Isso é futebol de quem pretende ser campeão?

O Cruzeiro nem precisou jogar muito para garantir a vitória que veio na metade do segundo tempo, após passe de Robinho- que Edu Dracena quis cortar de ''chaleira''- pra Rafael Sobis, lentamente ajeitar o corpo e bater fraquinho, no canto direito, enquanto Jaílson caía para a esquerda.

Pronto: jogo resolvido, pois o Palmeiras tinha seus atacantes em péssima noite, não jogando nada, e não tinha como reunir forças para tentar o empate ou a virada. Fábio deve ter agradecido o pouco trabalho que teve num jogo que se imaginava difícil. Pois não foi, acabou acontecendo uma das piores atuações dos palmeirenses nete ano.Time estático, sem variação tática,sem espirito vencedor

E agora,com três resultados negativos consecutivos e amargando o décimo- lugar no Campeonato Brasieiro? Mudanças no Palmeiras? Desconfio que não se irá mexer em nada até o jogo contra o São Paulo, até por falta de tempo. Mas não ficaria surpreso se algo mudasse em relação ao técnico Roger Machado, que não está em alta no Palmeiras; e quanto a Alexandre Matos, o homem forte do futebol palestrino,também já são muitos os questionamentos, embora este possa dar a volta por cima com reforços que, dizem, está cuidando. Mas sem bons resultados, de nada valerá.

Por enquanto são comentários, rumores, uma informação aqui, outra acolá…

Melhor esperar pelos próximos dias, para se ter certeza do queirá acontecer.Fique atento…

 


O técnico do seu time está na corda bamba?
Comentários 5

Roberto Avallone

Trata-se apenas do começo, é claro, mas o futbol é implacável: depois da saída de Carille para o futebol árabe. com a equipe sendo comandada por Osmar Loss. o Corinthians foi derrotado nas duas partidas iniciais do técnico, perdendo para o colombiano Millonarios, na Arena de Itaquera, e neste domingo para o Inter, em Porto Alegre. 2 a 1 para o Colorado.

Pode não significar quase nada. Se a equipe voltar ganhar- e depressa. Mas a verdade é que já surgem os comentários e também é fato que o Corinthians jogou pouco,quase não atacou, embora tivesse aberto o placar, logo aos 4 minutos de jogo. Depois,recuou. deu o campo todo para o adversário e, no

segundo tempo, levou a virada , com os gols de Leandro Damião e Rossi- ah, esse, já nos acréscimos, fez até o garoto Mantuan- que falhou ao tentar dominar a bola- chorar e ser consolado pelos companheiros e até por alguns jogadores do Inter.

Como ficará a situação de Osmar Loss? Só os próximos resultados dirão, por enquanto ele nem teve tempo razoável para treinar.Mas é um ponto de interrogação.

Já o Santos, que nem jogou mal, mas perdeu para o Cruzeiro, no Pacaembu, por 1 a 0(gol de Bruno Silva, de cabeça) tem um motivo mais forte para que não seja nada confortável a situação do técnico Jair Ventura:não vence há quatro jogos e está em uma só posição acima da zona da degola, embora, na verdade, tenha um jogo a mais para disputar.

É culpa de Jair? Impossível dizer, à distância. Sabe-se, no entanto, que ele não tem um time de qualidade acima da média e nem elenco farto.Só que no Botafogo, onde fez sucesso, parecia não ter também. Por enquanto, Ventura está mantido; se as vitórias teimarem em não aparecer, ah, ai já é outro ponto de interrogação.

Mesmo no Palmeiras, derrotado em sua Arena no sábado pelo Sport(3 a 2), partida em que desperdiçou várias chances e até um pênalti no último lance do jogo(Keno cobrou, Magrão defendeu), não é assim tão segura a posição de Roger Machado. Depende dos próximos jogos, dos resultados, digamos, até a parada para a Copa. Na média, a pontuação do Palmeiras- clube que acumulou mais pontos na fase de grupos da Libertadores- até que é boa; só que alguns jogos irritaram vários palmeirenses e boa parte da torcida( como  o empate com a Chapecoense, a derrota para o Sport e aquela final do Campeonato com o Corinthians- título perdido no Allianz Parque…),deixando outro grande ponto de interrogação.

Como ficará Roger Machado. Outra situação que será decidida pelos resultados. Pois, ''ao vencedor as batatas'', como dizia o grande Machado de Assis.

Assim, no momento, o único técnico em condição mais do que segura é Aguirre, que dirige o invicto São Paulo, 13 pontos, a apenas 1 do líder Flamengo(14 pontos):neste domingo, o tricolor venceu o América Mineiro, em Belo Horizonte,3 a 1-dois gols de Nenê e o outro de Diego Souza contra o chamado gol de honra do América, marcado por  Rafael Moura.

Eu disse no momento, pois sabe-se lá. não agora, mas daqui a um tempo, quais serão os resultados…

E hoje vou me restrigir ao futebol paulista(perdão, só uns segundinhos para elogiar Abel Braga, do Fluminense). pois, caso contrário, este blog, pelo espaço necessário .poderia aparentar desejo de ser um livro. Pois não?


Palmeiras, suada classificação. E lá vai o vencedor Carille
Comentários 5

Roberto Avallone

A noite já começou suada para o Palmeiras.Já sem seu artilheiro em boa fase, Borja,não poderia contar tambem com Dudu, pois(era sigilo), ele está na relação dos suplentes, entre os 35 convocados por Tite para extrair a lista final dos 23 jogadores que estarão na Copa do Mundo da Rússia. E sabe-se lá por que Dudu poderia atuar se fosse jogo da Libertadores ou da Copa Sul- Americana; por torneios nacionais, Copa do Brasil ou Campeonato Brasileiro, nem pensar.

Será que é assim mesmo? Também não se sabe ao certo, pois a FIFA-segundo consta não respondeu ainda a consulta da CBF, correndo uma versão segundo a qual o veto aos jogadores reclacionados e na supência iria de 21 a 27 de maio. Nesta quinta-feira, deveremos ter mais detalhes.

Mas o jogo foi ontem, quarta-feira, e sem  jogadores experientes como Borja e Dudu, o Palmeiras teve de escalar Deyverson, jogador indicado por Cuca,que está jogando cada vez pior.Já o vi em fases mais felizes e, embora contestado, marcava lá os seus golzinhos. Do jeito que está, mal deu para ficar no primeiro tempo.

Além disso, logo no começo do jogo,o Palmeiras teve um pènalti não marcado sobre Lucas Lima. Depois disso, embora não por essa razão, a equipe palestrina mostrou-se apática, desconcentrada e sem criar lances de gol por toda a etapa inicial-ah, de quebra, levou o gol do América, marcado por Serginho, que colocava em risco a sua classificação na Copa do Brasil.

No segundo tempo, com Guerra no lugar de Deyverson, o Palmeiras melhorou um pouco, o suficiente para Willian empatar- com belo gol de cabeça- e ainda perder outros dois, um com Hyoran e outro com Guerra. Pronto: 1 a 1 e avanço na Copa do Brasil garantido.

Mas foi um futebol feio. De doer.

2- E lá vai o vencedor Carille- três Campeonatos importantes conquistados em um ano e meio, sendo um Brasileiro e dois Paulistas- em sua estréia como técnico efetivo, embora andasse pelo Corinthians por quase 10 anos antes de de ser contratado pelo clube árabe, o Al- Wehda.Irá acompanhado de seu preparador físico Walmir Cruz e outros dois assistentes de sua confiança, contando, talvez, com sete novos jogadores- um goleiro e seis de linha.

O que mais me impressionu em Carille- a quem não conheço pessoalmente- foi a capacidade de fazer de sua defesa um paredão, colocando dois volantes de msrcação à frente dos zagueiros, e fazer do Corinthians, time sem estrelas, uma equipe extremamente eficiente e competitiva, virtudes sem as quais não ganharia os títulos que conquistou.

Imagino que seja assim, contratando novos jogadores ou não, que Carille tem chance de fazer do recém-promovido Al- Wehda uma provável surpresa no mundo do futebol árabe.

O que, pelo que se viu, em se tratando de Carille, nem surpresa seria.


Será que Carille vai mesmo? E Diego Souza decidiu o clássico
Comentários 5

Roberto Avallone

1- Não é por culpa do treinador,pois em momento algum- pelo menos publicamente- ele disse que iria embora do Corinthians. Apenas não negou os rumores da proposta que deveria chegar, coisa normal para quem foi campeão pelo Corinthians de três torneios importantes- um Campeonato Brasileiro e dois paulistas. Algumas pessoas próximas ao técnico- não vi a entrevista de seus pais–davam a entender que uma oferta boa viria por aí e que parecia irrecusável.

Neste domingo, no entanto, o suspense continuou com uma novidade:um jornal da mídia árabe, cravou que o novo técnico do Al- Hilal seria o português Jorge Jesus, que estaria insatisfeito no Sporting, equipe derrotada pelo Maritimo e fora da próxima Champions League, sofrendo clube a invasão de torcedores zangados e encapuzados, dispostos a enfrentar jogadores, seguranças e o próprio técnico Jorge Jesus. Que confusão!

Ontem, domingo, então,a situação piorou;na finalissima da Taça de Portugal, o Sporting voltou a perder, desta vez para o Aves, 2 a 1, ficando o adversário com a Taça de Portugal. Nada para o Sporting de Jorge Jesus. Esses fiascos poderiam, paradoxalmente, facilitar a ida do técnico para o Al- Hilal.

Por sua vez, após o jogo com o Sport, no Recife,empate de 1a 1- gols de Roger, de cabeça, e Carlos Henrique, Carille voltou a falar que não tem em mãos uma proposta oficial do Al Hilal. Se ela vier, promete analisá-la e definir se vai ou  se  fica.

E nada mais…

2-Futebol é pródigo nessas transformações: de contestado por alguns do São Paulo(dizem que quase foi para o Vasco), Diego Souza, ainda bom jogador, ensaia uma recuperação em alto estilo e vai dando sia volta por cima. Titular, dono da camisa número 9, ele foi o herói da vitória tricolor sobre o Santos, por 1 a 0: foi Diego o autor do gol da vitória, de cabeça, escorando com perfeição um centro de Éverton, vencendo a disputa aérea com David Braz.

Sempre gostei do fitebol de Diego Souza. bom no drible e nos arremates, chegando até a fazer um gol do meio do campo(em 2009, pelo Palmeiras, contra o Atlético Mineiro) acreditando, no entanto, que poderia render mais como meia-atacante, tendo mais espaço. Atualmente, porém, como o tempo passou, já acho que Diego Souza pode ser, sim, o ''falso 9'' que Tite já quis para a Seleção Brasileira.

Agora, Diego é um exímio cabeceador. Que tenha boa sorte.