Blog do Avallone

A Seleção, prontinha para a Copa. E a liderança do Fla

Roberto Avallone

1- Pode parecer simplesmente o óbvio. Mas não é. O fato de a Seleção Brasileira de Tite estar pronta para a Copa, significa que encontrou o time ideal, o ponto de equilíbrio adequado, os nomes certos- coisa que não tinha, só para dar um exemplo, no primeiro título mundial conquistado, em 1958. qiando só teve os fenomenais Pelé e Garrincha,mais o guerreiro Zito, a partir do terceiro jogo ,contra a então União Soviética.

O Brasil venceu a Austria, em Viena, neste domingo. E por 3 a 0, placar incontestável, gols de Gabriel Jesus, Neymar e Phillipe Coutinho, Vencer foi uma rotina na gestão de Tite, pois,em 21 jogos, ganhou 17, empatou três e perdeu uma única partida. Quer dizer; o triunfo sobre os austríacos foi normal, parece fazer parte de um cardápio, sem surpresa ou algo ligado ao fator sorte.

Qualquer previsão sobre trazer o Hexa para cá é mero palpite.Tantos são os detalhes que podem modificar um jogo de futebol. Não é palpite, no entanto, dizer que o Brasil tem chances muito boas de conquistar o título, pois isso, muito além de uma ilusão, é uma constatação do momento.  Que pode também não acontecer.

O que mais me impressiona na Seleção de agora é a sua capacidade de atacar, tanto pelos métodos convencionais- com os homens de frente- como por arrancadas de Marcelo pela lateral-esquerda ou pela invasão à area constante de Paulinho. Quanto aos homens de frente, a Seleção tem um Neymar com fome de bola, um GabrielJesus parceiro e autor de 10 gols sob o comando de Tite, Coutinho que alterna momentos de armador com outros de finalizador e Willian.ágil, arisco e bom chutador,

Enfim, uma Seleção dura de ser batida. E difícil de ser marcada.Os ventos parecem promissores, pois não?

2- A liderança do Flamengo- 26 pontos, seis de vantagem sobre os perseguidores- não foi obra do acaso. E nem é tão pequena como pode parecer, embora das 38 rodadas que compoem o Campeonato apenas 11 delas tenham sido cumpridas.

Na verdade, essa liderança, esse '' cheirinho'' de título(que poderã não se consumar) vem sendo construída já há agum tempo, com contratações caras( Diego. Éverton Ribeiro, Réver.etc) mescladas às boas revelações da base (Vinicius Jr., Felipe Vizeu- embora estes estejam indo embora daqui a pouco) numa sugetiva combinação de experiência com juventude, aliada à paciência para que isso tudo  se transforme em bons frutos; a incrivel massa torcedora capaz de lotar o Maracanã até em um jogo contra o Paraná.

São ingredientes muito  fortes.

E para ajudar ainda mais o Fla em seus sonhos (neste domingo, o Flamengo venceu o Paraná, 2 a 0, gols de Diego e Vizeu). há sempre um inesperado tropeço ou outro de eventuais perseguidores do  Flamengo. Exemplos: o empate do Palmeiras diante do rabeira Ceará, 2 a 2, depois de estar ganhando por 2 a 0;a derrota do forte Cruzeiro para a Chapecoense, 2 a 0; o empate do Corinthians, na Arena de Itaquera com o Vitória, 0 a 0…

Há os que estão melhorando, como o São Paulo que só perdeu um jogo neste Campeonato (no sábado, venceu o Furacão. 1 a0). o Atlético Mineiro (20 pontos. que goleou o Fluminense, 5 a 2) ou o Grêmio que tam muito potencial.

Tudo isso é verdade. E 11 rodadas são poucas-diante das 38 programadas-para definir o futuro do Campeonato. Mas são úteis para que se verifique a tendência do que pode acontecer.