Blog do Avallone

Barrios deixa menor vantagem corintiana. E Palmeiras, São Paulo…

Roberto Avallone

Foto: Divulgação

1- A vantagem do Corinthians em relação ao Grêmio ainda é muito grande. São 8 pontos. Mas poderia ser maior, caso a equipe corintiana não tivesse apenas empatado, em casa (2 a 2) com o Atlético Paranaense ou se o Grêmio deixasse de virar o jogo contra a Ponte Preta (estava perdendo de 1 a 0), por 3 a 1.

E o principal personagem da vitória gremista, nem tanto pela técnica, mais pelo oportunismo foi Lucas Barrios. Ele fez o gol de empate, com um chute seco, desviado, no canto esquerdo de Aranha: o mesmo Barrios, em meio à pressão de não poder desperdiçar a cobrança do pênalti cometido sobre Fernandinho, fez questão de pegar a bola, de assumir a responsabilidade. E chutou forte, no canto esquerdo de Aranha.

Era a virada gremista.

Virada depois consolidada, gol de Éverton, 3 a 1. Sem maiores sustos.

O Corinthians, em função de sua campanha, desponta como o favorito neste Campeonato Brasileiro. Mas nada está ainda decidido: faltam muitos jogos (24 rodadas) e qualquer previsão mais determinista pode ser precipitada.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

2- Mesmo sem empolgar seu torcedor com um futebol exuberante, sendo, porém, eficiente, o Palmeiras venceu o Vitória por 4 a 2 e evitou a crise que já estava se iniciando com as três derrotas consecutivas sofridas (e a principal delas contra o Corinthians, em casa).

Descontados os lances polêmicos- não vi pênalti em Mina, que Róger Guedes converteu em gol; mas vi pênalti em Willian, no segundo tempo-o Palmeiras soube virar um jogo em que perdia por 1 a 0 para 4 a 1 a favor, sendo que quase no fim do jogo a equipe baiana marcou seu segundo gol. 4 a 2.

A vitória valeu pelos três pontos, é claro (no momento, antes do jogo Botafogo e Sport, o Palmeiras é o quinto colocado), mas valeu mais para amenizar o humor pela campanha irregular. E mais de 36 mil palmeirenses estiveram no estádio.

Na minha opinião, os destaques do Palmeiras foram, pela ordem, Dudu (autor de dois gols) e Guerra (que, até sair por cansaço, fez boas jogadas).

Foto: Tarla Wolski/ Folhapress

3- Delicada é a situação do São Paulo, que neste domingo perdeu para a Chapecoense, 2 a 0: está na zona do rebaixamento, é o décimo-oitavo colocado, e seu futebol não parece nada propício a uma reação brilhante.

A defesa tricolor falha muito e Cueva- que já viveu no São Paulo um período de glórias- parece ter esquecido o jeito de driblar os zagueiros, de fazer lançamentos primorosos. Quanto ao conjunto, ou falta de entrosamento, é possível que seja pela excessiva entrada e saída de jogadores que aconteceu neste ano,

É provável.

De qualquer maneira, embora ainda faltem 24 rodadas, é preciso cuidado,

Afinal, o São Paulo não vence há 9 jogos.