PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Roberto Avallone

O alerta de Valdivia. E o reserva Ganso

Roberto Avallone

24/02/2014 02h46

Reprodução: Site Palmeiras

Reprodução: Site Palmeiras

 1- Entre uma ou outra declaração após o jogo em que o Botafogo de Ribeirão Preto acabou facilmente com a invencibilidade do Palmeiras (3 a 1), Valdivia surpreendeu: "Vou ter de falar: perder agora pode nos fazer bem". Como nada mais falou sobre as razões do benefício- e nem lhe foi perguntado, pelo menos que se tenha visto e ouvido pela tevê- dá margem a interpretação e dedução:

a) Teria El Mago alertado sobre o estado de espírito atual da equipe, que talvez pudesse estar confiante além da conta, iludida pelos resultados que nos últimos jogos não refletiram a realidade? Sei lá. Sei que o Palmeiras vem caindo de produção há algumas partidas, salvo muitas vezes pelo goleiro Fernando Prass, aconteceu diante do XV de Piracicaba, do Corinthians, do Ituano… Ah, aí veio o Botafogo, e mesmo com o desconto de amargar sérios desfalques, o Palmeiras levou um baile no primeiro tempo, contou com a atuação horrível de Willian Matheus- e pronto: lá se foi a invencibilidade de 9 jogos e a liderança geral do Campeonato, agora nas mãos do Santos.

b) Ainda na base da dedução sobre o alerta e sem que Valdivia tenha falado nada sobre isso, pergunto: é possível um candidato (que parecia o favorito) ao título jogar com esse Willian Matheus na lateral-esquerda, Eguren como volante (não marca, não dribla, não lança, não chuta) ou esse jovem Miguel como centroavante? Ou ter apenas Wendel, esforçado e limitado como lateral-direito? Pode ser falta de percepção do técnico Gilson Kleina, pode ter havido erro de planejamento.

c) Já saindo do alerta de Valdivia e partindo para o futuro, minha opinião: o Palmeiras só terá chances reais se jogar completo e no limite, sem o direito de poupar Wesley, aproveitando Valdivia ao máximo, formando a dupla ofensiva com Leandro e Alan Kardec (que não puderam enfrentar o Botafogo, é verdade) e desculpando a falha de Bruno César que foi expulso, pois ele tem bola para fazer parte do time.

d) Isso para o Campeonato Paulista. Para o Brasileiro, ah, para o Brasileiro será preciso qualificar bem mais o time.

Foto: Gety

Foto: Gety

2- Sacado do time, Paulo Henrique Ganso curtiu o banco de reservas do São Paulo até os 30 minutos do segundo tempo no clássico contra seu ex-time, o Santos. Ao ser perguntado sobre o assunto, o técnico Muricy Ramalho foi econômico nas palavras: "Foi opção do treinador".

A cena seria inimaginável há algum tempo, quando Ganso desfilava seu talento, com dribles secos, lançamentos perfeitos, gols memoráveis. E logo agora que Jadson saiu (e fazendo sucesso no Corinthians) e Ganso ganhou a camisa 10, ele nega fogo? Creio não ser nada definitivo, mas o conceito de Ganso não bate mais com o futebol moderno: acabou a era daquele meia-armador que aparecia de vez em quando, com um lançamento perfeito e uma outra jogada decisiva- como outros craques que tivemos.

Hoje, não: além do talento, o jogador precisa se movimentar o tempo inteiro, chamar o jogo, participar da marcação, ser presente. Se Ganso entender isso, terá recuperação, caso contrário, será muito difícil.

Quanto ao clássico, até que foi movimentado, o São Paulo com mais posse de bola, o Santos respondendo como podia. O placar de 0 a 0 não fez justiça ao que se viu no Morumbi, com as equipes merecendo balançar as redes e agitar as torcidas.

Não, não foi um placar justo.

Sobre o Autor

Sou Roberto Avallone, jornalista esportivo há mais de 45 anos. Primeiro o jornal, depois o rádio; mais tarde a TV. E finalmente, a tal da internet. Troquei a velha Remington - de som marcante e inspirador - pelo mouse e teclado. Seja qual for o meio, seja qual for o ano corrente, lá estarei eu falando sobre minha grande paixão: o futebol. Tem gente que gosta do que faz. Eu faço o que gosto. A diferença parece sutil - mas não é, e faz toda a diferença. Palpitem, opinem, contestem, concordem e discordem neste blog democrático. Não prometo atualizações minuto-a-minuto, nem respostas a todas as perguntas, mas tenham a certeza de que lerei todas elas e darei o meu melhor em matéria de informações, bastidores e memórias. Sejam bem vindos, caros amigos futeblogueiros.

Blog do Roberto Avallone