PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Roberto Avallone

E o Palmeiras transformou um vexame em virada épica

Roberto Avallone

17/08/2013 19h55

Marcos Ribolli

A situação era no mínimo curiosa, surpreendente: com que então o Paysandu, que não ganhara nenhum pontinho sequer fora de casa, vencia o líder Palmeiras por 2 a 0 (gols de Pablo e Yago Pikachu) em pleno Pacaembu- e ainda com autoridade?

Para a torcida do Palmeiras era o vexame personificado. Perdendo por um gol de diferença e virar, já tinha acontecido. Mas estar atrás no placar por dois gols e ainda com vários jogadores rendendo pouco- Wesley, Márcio Araújo, Leandro, etc- vencer essa partida parecia um sonho impossível.

Mas não era, a começar pela produção do lateral-direito, Luís Felipe, que aos 28 minutos do segundo tempo, cortou o lateral com a direita e mandou belo centro de canhota para a cabeçada fatal de Alan Kardec. E depois, com o Paysandu já todo recuado, Mendieta acertou chute indefensável, aos 38 minutos, para Leandro aos 49 concluir, de cabeça, para as redes.

Era a vitória, Palmeiras 3 a 2. E o que era vexame transformou-se em virada épica, festeja como se fosse a conquista de um título.

O que houve? Bem, em minha opinião, o Palmeiras começou o jogo muito mal, tocando de lado, errando os passes em profundidade que tentava, exagerando na lentidão. Excesso de confiança? Talvez. Mas o Paysandu estava perfeito na marcação e nos contra-ataques e, ao fazer seu primeiro gol, deixou o líder nervoso, afobado. Deve ter sido o pior primeiro tempo do Palmeiras ao longo desta competição.

Ao marcar o segundo gol, o Paysandu cometeu um erro fatal, o de renunciar ao ataque. E aí o Palmeiras, que começou o jogo com três volantes e acabou sem nenhum (Wesley expulso; Araújo e Charles substituídos), promoveu um autentico "ataque contra defesa", insistindo até conseguir os gols da vitória.

Os melhores? Pelo Palmeiras, destaco Luís Felipe, lateral em franca evolução; pelo Paysandu, os destaques também ficam por conta de laterais- Ygor Pikachu, autor de um golaço, e Pablo, autor do outro.

Não leva boa nota a arbitragem que deixou de marcar dois pênaltis– um para o Paysandu cometido sobre Pablo- e outro para o Palmeiras, sofrido por Leandro.

Sobre o Autor

Sou Roberto Avallone, jornalista esportivo há mais de 45 anos. Primeiro o jornal, depois o rádio; mais tarde a TV. E finalmente, a tal da internet. Troquei a velha Remington - de som marcante e inspirador - pelo mouse e teclado. Seja qual for o meio, seja qual for o ano corrente, lá estarei eu falando sobre minha grande paixão: o futebol. Tem gente que gosta do que faz. Eu faço o que gosto. A diferença parece sutil - mas não é, e faz toda a diferença. Palpitem, opinem, contestem, concordem e discordem neste blog democrático. Não prometo atualizações minuto-a-minuto, nem respostas a todas as perguntas, mas tenham a certeza de que lerei todas elas e darei o meu melhor em matéria de informações, bastidores e memórias. Sejam bem vindos, caros amigos futeblogueiros.

Blog do Roberto Avallone