PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Roberto Avallone

Mistérios do futebol: ou será que dá para entender?

Roberto Avallone

09/08/2013 01h10

Imagem: Internet

1- Por que o Atlético Mineiro teve  bloqueados pela Justiça 40 milhões de reais dos 77 extraordinariamente obtidos da venda do jovem talentoso Bernard para o ucraniano Shaktar Donestk? Foi um golpe duro. Mas, pelo que li, um golpe justo. No próprio comunicado oficial emitido pelo Atlético, vi a não concordância do clube em relação  aos débitos fiscais e tributários, que está em avançados estudos pelo Governo a mudança dessa prática e que o clube irá recorrer da ordem de bloqueio, foii em primeira instância, coisa e tal.

Não notei, no entanto, em nenhum momento a negativa da dívida. Logo, se a lei ainda está valendo, qual é o problema? Talvez seja inesperado, mas não vejo outra saída senão o acordo de pagamento.

Assim, por enquanto, de quinta maior transferência brasileira de todos os tempos, Bernard está saindo até que barato.

2Por que Wesley, logo em seu melhor momento de Palmeiras, pode ser vendido ou emprestado? Em termos esportivos, não tem lógica. Nem mesmo o argumento de que o craque ganha muito, pois não foi agora, a poucos meses do fim do ano, é que  ele passou a ter o seu atual salário.

O segredo, talvez, esteja em uma ação movida- não sei se ainda é extra judicial- por uma empresa de marketing que solicita o pagamento de comissão prometida na época da contratação,  colocada detalhadamente em papel e que atinge soma superior a 1 milhão e 500 mil reais.

Isso já explicaria melhor o caso.

3- Por que Barcos não joga mais nada? Acompanhei a derrota do Grêmio para o Coritiba (1 a 0, gol de Deivid, em Porto Alegre) e mais uma vez me chamou a atenção a pífia atuação de Hernán Barcos: não deu um drible, um bom chute a gol ou uma cabeçada. Que diferença dos tempos de Palmeiras! Houve um momento em que pensei que Barcos estivesse sacrificado pelo esquema tático, jogando excessivamente recuado, como um meia-armador- o que deu até reclamação de seu irmão, via twitter, em partida pela Libertadores.

Agora, sei que não é nada disso. Simplesmente, Barcos deixou de ser ele mesmo.

Não sei se alguém será capaz\ de desvendar esse mistério.

 

Sobre o Autor

Sou Roberto Avallone, jornalista esportivo há mais de 45 anos. Primeiro o jornal, depois o rádio; mais tarde a TV. E finalmente, a tal da internet. Troquei a velha Remington - de som marcante e inspirador - pelo mouse e teclado. Seja qual for o meio, seja qual for o ano corrente, lá estarei eu falando sobre minha grande paixão: o futebol. Tem gente que gosta do que faz. Eu faço o que gosto. A diferença parece sutil - mas não é, e faz toda a diferença. Palpitem, opinem, contestem, concordem e discordem neste blog democrático. Não prometo atualizações minuto-a-minuto, nem respostas a todas as perguntas, mas tenham a certeza de que lerei todas elas e darei o meu melhor em matéria de informações, bastidores e memórias. Sejam bem vindos, caros amigos futeblogueiros.

Blog do Roberto Avallone