Blog do Avallone

Palmeiras, a virada que derrubou o último invicto
Comentários 7

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Desta vez, o Palmeiras foi protagonista de uma virada que empolgou a sua torcida: saiu de uma derrota no primeiro tempo para o até então invicto São Paulo (1 a 0, gol conferido a Marcos Guilherme. mas que pareceu gol contra de Edu Dracena) para uma vitória de 3 a 1, no final, mantendo a escrita do Choque- Rei no Allianz Parque- 7 jogos, 7 vitórias dos palmeirenses.

O São Paulo já não é mais invicto e o Palmeiras insinua sair da fase turbulenta, pois sei lá o que aconteceria com o técnico Roger Machado e direção do futebol se houvesse uma derrota dentro de casa. Poderia ser tudo contornado. Mas creio que aconteceriam mudanças sérias nos próximos dias.

É bom que se diga que, por estar vivendo melhor momento, o São Paulo se mostrou mais organizado e perigoso no primeiro tempo, embora fosse equilibrada a partida, com muita correria, marcação, coisa e tal, mas quase sem trabalho para os goleiros Sidão e Jaílson. Bem, quando teve trabalho, na dividida com Marcos Guilherme, no momento do gol, Jaílson saiu mal, não atacou a bola e nem salvou a falha incrível de Edu Dracena.

No segundo tempo, no entanto, jogando com raça e alma, o Palmeiras foi demolidor: fez três gols em 14 minutos- dois de Willian e outro, de cabeça, de Dudu- e poderia ter feito até mais, suportando, inclusive, a perda de Keno e Diogo Barbosa (lesionados) e de Moisés (que fez grandes lançamentos e ótimos passes!), sendo que não vi divulgada a causa da saída de Moisés, se por lesão ou exaustão.

Detalhe importante: o segundo gol do Palmeiras, marcado por Willian, até gerou polêmica. Não no campo, pois não houve reclamação que tenha sido vista e porque o árbitro estava perto da jogada em que Hyoran foi para a dividida com Militão. E aí, de quem foi o toque? Willian estava avançado, é verdade, mas não vi nenhuma imagem que mostrasse que a bola a ele alçada. veio de Hyoran ou Militão que a estavam disputando.

Por essa razão, o árbitro fica com o crédito da visão mais clara naquele momento e da interpretação. Não vou cravar o que não vi com clareza.


O São Paulo é líder. E mudanças já no Palmeiras?
Comentários 15

Roberto Avallone

1- Nenê está jogando muito; Éverton, bela contratação tricolor, não perde a chance de aproveitar a sua canhota; e Diego Souza, com muita presença, dificilmente passa um jogo sem marcar- e conra o Botafogo ele o fez de peito, machucando também o nariz, mas marcou como autêntico homem de área.

Enfim, esse trio- Nenê, Éverton e Diego Souza- levou o São Paulo á liderança provisória(o Flamengo ,nesta quinta-feira, enfrentará o Bahia, com chances de voltar ao topo da tabela) , marcando os gols da vitória do tricolor sobe o Botafogo, 3 a 2, na noite de quart-feira, no Morumbi. O São Paulo está invicto no Campeonato Brasileiro.

E seu triunfo contra os botafoguenses aconteceu de virada. Quem abriu o placar foi o Bota, com um chute de canhota de Valença, no alto das redes de Sidão: Coube a Nenê, de pênalti,empatar a partida; depois,Diego Souza marcou o segundo, ajoelhando-se para escorar o centro vindo da direita; e o mesmo Diego Souza lançou Éverton, pela esquerda, para esse bom jogador, ex- Flamengo, acertasse seu providencial chute  de esquerda. 3 a 1.

No segundo tempo, bem, nesta etapa final o São Paulo jogou mais no contra-ataque-embora sempre oferecesse perigo para o goleiro Jefferson- e levou o segundo gol do Bota, marcado por Rodrigo Pimpão, de cabeça, gol que não ameaçou de fato a sua vitória e nem a liderança conquistada, ainda que provisoriamente.

Asxsim está o invicto São Paulo, à espera do que possa acontecer com o Flamengo e na esperança de, no sábado, conquistar a sua primeira vitória em um Choque- Rei disputado no estádio do Palmeiras. Clássico atraente.

2- E O Palmeiras? Meu Deus! Tudo bem que enfrentar o Cruzeiro, ainda mais no Mineirão, não é fácil. É  perigoso. Mas um time como  Palmeiras, agora mais contestdo do que badalado, pode ficar mais de 90 minutos apenas marcando, sem oferecer nenhum momento de perigo para o goleiro Fábio, a não ser um chute de fora da área de Dudu? Isso é futebol de quem pretende ser campeão?

O Cruzeiro nem precisou jogar muito para garantir a vitória que veio na metade do segundo tempo, após passe de Robinho- que Edu Dracena quis cortar de ''chaleira''- pra Rafael Sobis, lentamente ajeitar o corpo e bater fraquinho, no canto direito, enquanto Jaílson caía para a esquerda.

Pronto: jogo resolvido, pois o Palmeiras tinha seus atacantes em péssima noite, não jogando nada, e não tinha como reunir forças para tentar o empate ou a virada. Fábio deve ter agradecido o pouco trabalho que teve num jogo que se imaginava difícil. Pois não foi, acabou acontecendo uma das piores atuações dos palmeirenses nete ano.Time estático, sem variação tática,sem espirito vencedor

E agora,com três resultados negativos consecutivos e amargando o décimo- lugar no Campeonato Brasieiro? Mudanças no Palmeiras? Desconfio que não se irá mexer em nada até o jogo contra o São Paulo, até por falta de tempo. Mas não ficaria surpreso se algo mudasse em relação ao técnico Roger Machado, que não está em alta no Palmeiras; e quanto a Alexandre Matos, o homem forte do futebol palestrino,também já são muitos os questionamentos, embora este possa dar a volta por cima com reforços que, dizem, está cuidando. Mas sem bons resultados, de nada valerá.

Por enquanto são comentários, rumores, uma informação aqui, outra acolá…

Melhor esperar pelos próximos dias, para se ter certeza do queirá acontecer.Fique atento…

 


O técnico do seu time está na corda bamba?
Comentários 5

Roberto Avallone

Trata-se apenas do começo, é claro, mas o futbol é implacável: depois da saída de Carille para o futebol árabe. com a equipe sendo comandada por Osmar Loss. o Corinthians foi derrotado nas duas partidas iniciais do técnico, perdendo para o colombiano Millonarios, na Arena de Itaquera, e neste domingo para o Inter, em Porto Alegre. 2 a 1 para o Colorado.

Pode não significar quase nada. Se a equipe voltar ganhar- e depressa. Mas a verdade é que já surgem os comentários e também é fato que o Corinthians jogou pouco,quase não atacou, embora tivesse aberto o placar, logo aos 4 minutos de jogo. Depois,recuou. deu o campo todo para o adversário e, no

segundo tempo, levou a virada , com os gols de Leandro Damião e Rossi- ah, esse, já nos acréscimos, fez até o garoto Mantuan- que falhou ao tentar dominar a bola- chorar e ser consolado pelos companheiros e até por alguns jogadores do Inter.

Como ficará a situação de Osmar Loss? Só os próximos resultados dirão, por enquanto ele nem teve tempo razoável para treinar.Mas é um ponto de interrogação.

Já o Santos, que nem jogou mal, mas perdeu para o Cruzeiro, no Pacaembu, por 1 a 0(gol de Bruno Silva, de cabeça) tem um motivo mais forte para que não seja nada confortável a situação do técnico Jair Ventura:não vence há quatro jogos e está em uma só posição acima da zona da degola, embora, na verdade, tenha um jogo a mais para disputar.

É culpa de Jair? Impossível dizer, à distância. Sabe-se, no entanto, que ele não tem um time de qualidade acima da média e nem elenco farto.Só que no Botafogo, onde fez sucesso, parecia não ter também. Por enquanto, Ventura está mantido; se as vitórias teimarem em não aparecer, ah, ai já é outro ponto de interrogação.

Mesmo no Palmeiras, derrotado em sua Arena no sábado pelo Sport(3 a 2), partida em que desperdiçou várias chances e até um pênalti no último lance do jogo(Keno cobrou, Magrão defendeu), não é assim tão segura a posição de Roger Machado. Depende dos próximos jogos, dos resultados, digamos, até a parada para a Copa. Na média, a pontuação do Palmeiras- clube que acumulou mais pontos na fase de grupos da Libertadores- até que é boa; só que alguns jogos irritaram vários palmeirenses e boa parte da torcida( como  o empate com a Chapecoense, a derrota para o Sport e aquela final do Campeonato com o Corinthians- título perdido no Allianz Parque…),deixando outro grande ponto de interrogação.

Como ficará Roger Machado. Outra situação que será decidida pelos resultados. Pois, ''ao vencedor as batatas'', como dizia o grande Machado de Assis.

Assim, no momento, o único técnico em condição mais do que segura é Aguirre, que dirige o invicto São Paulo, 13 pontos, a apenas 1 do líder Flamengo(14 pontos):neste domingo, o tricolor venceu o América Mineiro, em Belo Horizonte,3 a 1-dois gols de Nenê e o outro de Diego Souza contra o chamado gol de honra do América, marcado por  Rafael Moura.

Eu disse no momento, pois sabe-se lá. não agora, mas daqui a um tempo, quais serão os resultados…

E hoje vou me restrigir ao futebol paulista(perdão, só uns segundinhos para elogiar Abel Braga, do Fluminense). pois, caso contrário, este blog, pelo espaço necessário .poderia aparentar desejo de ser um livro. Pois não?


Palmeiras, suada classificação. E lá vai o vencedor Carille
Comentários 5

Roberto Avallone

A noite já começou suada para o Palmeiras.Já sem seu artilheiro em boa fase, Borja,não poderia contar tambem com Dudu, pois(era sigilo), ele está na relação dos suplentes, entre os 35 convocados por Tite para extrair a lista final dos 23 jogadores que estarão na Copa do Mundo da Rússia. E sabe-se lá por que Dudu poderia atuar se fosse jogo da Libertadores ou da Copa Sul- Americana; por torneios nacionais, Copa do Brasil ou Campeonato Brasileiro, nem pensar.

Será que é assim mesmo? Também não se sabe ao certo, pois a FIFA-segundo consta não respondeu ainda a consulta da CBF, correndo uma versão segundo a qual o veto aos jogadores reclacionados e na supência iria de 21 a 27 de maio. Nesta quinta-feira, deveremos ter mais detalhes.

Mas o jogo foi ontem, quarta-feira, e sem  jogadores experientes como Borja e Dudu, o Palmeiras teve de escalar Deyverson, jogador indicado por Cuca,que está jogando cada vez pior.Já o vi em fases mais felizes e, embora contestado, marcava lá os seus golzinhos. Do jeito que está, mal deu para ficar no primeiro tempo.

Além disso, logo no começo do jogo,o Palmeiras teve um pènalti não marcado sobre Lucas Lima. Depois disso, embora não por essa razão, a equipe palestrina mostrou-se apática, desconcentrada e sem criar lances de gol por toda a etapa inicial-ah, de quebra, levou o gol do América, marcado por Serginho, que colocava em risco a sua classificação na Copa do Brasil.

No segundo tempo, com Guerra no lugar de Deyverson, o Palmeiras melhorou um pouco, o suficiente para Willian empatar- com belo gol de cabeça- e ainda perder outros dois, um com Hyoran e outro com Guerra. Pronto: 1 a 1 e avanço na Copa do Brasil garantido.

Mas foi um futebol feio. De doer.

2- E lá vai o vencedor Carille- três Campeonatos importantes conquistados em um ano e meio, sendo um Brasileiro e dois Paulistas- em sua estréia como técnico efetivo, embora andasse pelo Corinthians por quase 10 anos antes de de ser contratado pelo clube árabe, o Al- Wehda.Irá acompanhado de seu preparador físico Walmir Cruz e outros dois assistentes de sua confiança, contando, talvez, com sete novos jogadores- um goleiro e seis de linha.

O que mais me impressionu em Carille- a quem não conheço pessoalmente- foi a capacidade de fazer de sua defesa um paredão, colocando dois volantes de msrcação à frente dos zagueiros, e fazer do Corinthians, time sem estrelas, uma equipe extremamente eficiente e competitiva, virtudes sem as quais não ganharia os títulos que conquistou.

Imagino que seja assim, contratando novos jogadores ou não, que Carille tem chance de fazer do recém-promovido Al- Wehda uma provável surpresa no mundo do futebol árabe.

O que, pelo que se viu, em se tratando de Carille, nem surpresa seria.


Será que Carille vai mesmo? E Diego Souza decidiu o clássico
Comentários 5

Roberto Avallone

1- Não é por culpa do treinador,pois em momento algum- pelo menos publicamente- ele disse que iria embora do Corinthians. Apenas não negou os rumores da proposta que deveria chegar, coisa normal para quem foi campeão pelo Corinthians de três torneios importantes- um Campeonato Brasileiro e dois paulistas. Algumas pessoas próximas ao técnico- não vi a entrevista de seus pais–davam a entender que uma oferta boa viria por aí e que parecia irrecusável.

Neste domingo, no entanto, o suspense continuou com uma novidade:um jornal da mídia árabe, cravou que o novo técnico do Al- Hilal seria o português Jorge Jesus, que estaria insatisfeito no Sporting, equipe derrotada pelo Maritimo e fora da próxima Champions League, sofrendo clube a invasão de torcedores zangados e encapuzados, dispostos a enfrentar jogadores, seguranças e o próprio técnico Jorge Jesus. Que confusão!

Ontem, domingo, então,a situação piorou;na finalissima da Taça de Portugal, o Sporting voltou a perder, desta vez para o Aves, 2 a 1, ficando o adversário com a Taça de Portugal. Nada para o Sporting de Jorge Jesus. Esses fiascos poderiam, paradoxalmente, facilitar a ida do técnico para o Al- Hilal.

Por sua vez, após o jogo com o Sport, no Recife,empate de 1a 1- gols de Roger, de cabeça, e Carlos Henrique, Carille voltou a falar que não tem em mãos uma proposta oficial do Al Hilal. Se ela vier, promete analisá-la e definir se vai ou  se  fica.

E nada mais…

2-Futebol é pródigo nessas transformações: de contestado por alguns do São Paulo(dizem que quase foi para o Vasco), Diego Souza, ainda bom jogador, ensaia uma recuperação em alto estilo e vai dando sia volta por cima. Titular, dono da camisa número 9, ele foi o herói da vitória tricolor sobre o Santos, por 1 a 0: foi Diego o autor do gol da vitória, de cabeça, escorando com perfeição um centro de Éverton, vencendo a disputa aérea com David Braz.

Sempre gostei do fitebol de Diego Souza. bom no drible e nos arremates, chegando até a fazer um gol do meio do campo(em 2009, pelo Palmeiras, contra o Atlético Mineiro) acreditando, no entanto, que poderia render mais como meia-atacante, tendo mais espaço. Atualmente, porém, como o tempo passou, já acho que Diego Souza pode ser, sim, o ''falso 9'' que Tite já quis para a Seleção Brasileira.

Agora, Diego é um exímio cabeceador. Que tenha boa sorte.


O poderoso Borja, como num passe de mágica
Comentários 2

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Pode ainda ser muito cedo para uma constatação. Mas, convenhamos, o que Borja fez no jogo contra o Bahia e os três gols por ele marcados diante do Junior Barranquilla, ah, simplesmente isso modificou opiniões e transformou o jogador de contestado a merecedor das honras de melhor campo.

Como num passe de mágica.

Já vi outros casos assim, mas são raros, muito raros:o fato é que Borja faz lamentar sua ausência por um tempo no Palmeiras(neste sábado, foi seu ''até logo'' até sua volta da Seleção da Colômbia e da Copa do Mundo), sendo visto como o sonhado artilheiro capaz e eficiente, goleador do time na temporada, com 15 gols em 23  partidas disputadas.

Esperemos um pouco, pelo menos mais um pouco,para sabermos se Borja recuperou mesmo sua boa fase ou que os bons momentos vividos por ele foram apenas lampejos. Creio, no entanto, que dotado deautoconfiança e em novo estilo de jogo,mais dentro da área(méritos, no caso, do técnico Roger Machado), Borja, finalmente, será o centroavante da equipe, titular absoluto.

Qual  foi sua importância ma vitória de 3 a 0 sobre o Bahia, nesta tarde de sábado, na Arena do Palmeiras? Foi muito grande, pois Borja- na minha opinião, o melhor do time- logo aos dois minutos fez grande jogada, em velocidade e passou para Willian marcar o primeiro gol , quebrando qualquer intenção de retranca do Bahia, se é que existia; no segundo gol, ele não teve participação, pois a jogada se desenvolveu com passe de Lucas Lima para Marcos Rocha, centro para Antonio Carlos- e gol!; no terceiro gol, Borja deslocou-se um pouco mais para a direita, recebeu excelente passe de Lucas Lima e chutou no cantinho direito do goleiro do Bahia.Belo gol!

E daí por diante, com algimas jogadas de destaque, com perfeitas deslocações paraa esquerda e para a direita, além , em certos momentos, ainda ajudar na marcação- quesito que, se repetido muitas vezes, pode cansá-lo e tirar parte de sua força para o principal, que é chegar na área, entrar em diagonal curta e finalizar.

É sempre agradável presenciar a volta por cima daquilo que parecia um caso perdido. Que Borja tenha sorte e sucesso também na boa Seleção colombiana na Copa do Mundo da Rússia. Ele parece ter lutado mito para isso.


A noite de Borja e Prass: ao Palmeiras,a liderança na Libertadores
Comentários 12

Roberto Avallone

O centroavante Miguel Angel Borja, em sua melhor apresentação desde que chegou ao Palmeiras fez 1, 2, 3 gols! Repetindo, marcou três gols! Já o goleiro Fernando Prass, lembrando o auge de suas atuações. além de três grandes defesas, fez da quarta a maior delas, ao defender, em seu canto esquerdo, sem dar rebote.o pênalti (por sinal, inexistente) cobrado por Barrera.

E tendo em Borja e Prass os seus maiores destaques, o Palmeiras venceu o Junior Barranquilla, nesta noite de quarta-feira, por 3 a 1, com os três gols de Borja já citados contra um de Téo Gutierrez(gol irregular, pois ele estava impedido) consolidando a liderança geral desta fase de grupos da Libertadores. Confirmou a maior pontuação entre os clubes, ganhando o direito de disputar todos os seus mata-matas com o segundo jogo em casa.

O Palmeiras conseguiu a vitória e a vantagem na competição com o seu mistão, equipe formada por reservas, em sua maioria. Ao Junior Barranquilla só interessava a vitória pois com quase certeza, seu concorrente pela vaga, o Boca Juniors, venceria o Alianza Lima em Buenos Aires, O que de fato aconteceu: o Boca goleou o Alianza, 5 a 0. E então, no primeiro tempo lá se foi o Junior ao ataque esbarrando, no entanto, nas grandes defesas de Fernando Prass. que nem parecia ter ficado tanto tempo sem jogar.

No segundo tempo, o que se viu foi um outro Palmeiras, com Guerra encostando mais no ataque, com Willian se insinuando entre os zagueiros, com os laterais- Mike e Victor Luís- apoiando mais. Nada disso importaria muito, no entanto, se Borja não tivesse se transformado em super-artilheiro, mais ou menos omo a torcida o imaginava quando chegou do Nacional de Medellin.

E o que foi, no caso, transformar-se em super-artilheiro? Foi fazer gols de todas as formas: o primeiro, apanhando o rebote na pequena área e, mesmo bloqueado, chutar de canhota- e com sucesso:no segindo gol, talvez o mais bonito, invadiu a área,deu a impressão de preparar um chutaço, mas apenas desviou, com classe, do goleiro; o terceiro gol, aproveitando muito bem o passe de peito de Mike, arrematando com perfeição.

Fopi a grande partida de Borja com a camisa do Palmeiras,trazendo, pelo menos.o direito de sonhar que possa repetir a façanha e que, desde que bem lançado- aproximar-se do centroavante tãosonhado pela torcida e que custou muitodinheiroao clube em sua contratação.

Confesso que não sei: será o Borja demolidor dessa partida, que já tem 14 gols na temporada, o voltará a figurar como o ''grosso'' ou ''caneludo'' como já era chamado por muitos torcedores.Faço figa pela primeira hipótese, pelo recomeço de um novo Borja centroavante que, se não é um craque, seja pelo menos o goleador do bom arremate,perigo constante.

Se assim for, a torcida do Palmeiras haveria de desejar um outro centroavante?


O Derby: ao Corinthians, a glória; ao Palmeiras, a reflexão
Comentários 23

Roberto Avallone

Desta vez não houve arbitragem polêmica, nenhum pênalti reclamado e nem gol mal anulado. O que houve já está virando rotina nos últimos dois anos: o Corinthians venceu o Palmeiras, 1 a 0, gol de Rodriguinho e nem as três bolas que carimbaram suas traves tiraram a justiça de seu triunfo, pois o Palmeiras desmoronou após levar o gol e o segundo tempo foi corintiano.

Além de organizado taticamente, teve o Corinthians um menino de 20 anos, Pedrinho, que nem precisou tocar tanto na bola para fazer a diferença.Foi assim no gol de Rodriguinho,em jogada iniciada por Pedrinho, em lance em que exibiu muito talento- com drible de corpo deixou fora de combate dois volantes palmeirenses- Thiago Santos e Bruno Henrique- para, em seguida, acionar Jadson que esticou na esquerda para Maycon, que centrou para Rodriguinho marcar o gol da vitória.

Aliás, pela jogada de Pedrinho e eficiente sequência de Jadson,Maykon e Rodriguinho, um belissimo gol.

Pedrinho também deu um ''chapéu'' em Diogo Barbosa e, no segundo tempo, com o Palmeiras já aparentemente sem forças, ele fez grande jogada e chutou de longe para o canto esquerdo alto de Jaílson, obrigando o goleiro palmeirense a uma intervençaõ espetacular.O técnico Carille qualificou, após a partida, o jogo commo sendo o melhor do Corinthians no ano.

E o Palmeiras,que cultivava uma série invicta de 8 partidas, com várias delas jogadas fora de casa? Pois é… Até que, no primeiro tempo não jogou mal, disputou partida equilibrada com o Corinthians e, poico antes de Rodriguinho marcar,Thiago Santos perdeu chance incrível de gol, cara a cara com Cássio, chutando violentamente a bola na trave direita do goleiro corintiano.Faltaram, no entanto, ao Palmeiras, algumas doses de talento: Dudu, Lucas Lima e Borja quase nada jogaram,logo eles, especialmente Dudu e Lucas Lima poderiam desequilibrar. Assim como fez Pedrinho, no Corinthians.

No segundo tempo, então, o Palmeiras entrou sem força- fico pensando se não é em função, também, do acúmulo de jogos e viagens- Lucas Li,ma ficou em campo mais 18 minutos(entrou Guerra), Borja depois cedeu seu lugar a Willian, Tchê- Tchê também foi para o jogo.E nãoé que o time piorou ainda mais? Chutou mais dias vezes nas traves corintianas- Bruno Henrique e Antonio Carlos, este de cabeça- mas em lances isolados,sem consistência ofensiva.

Bem, além da vitória, o Corinthians voltou a encostar na liderança, com os mesmos 10 pontos de Flamengo e Atlético Mineiro,perdendo para o clube carioca apenas no saldo de gols.Foi a sua glória do domingo.

Enquanto isso, o Palmeras deve se voltar à reflexão: embora até faça boa campanha no ano, tem time e elenco superestimados e precisa de ajustes externos(pelo menos duas cintratações de peso) e internos, casos específicos de Lucas Lima e Dudu, que podem render muito mais do que estão mostrando. De Borja, nem falo, pois é isso mesmo, lutador e de bom arremate, mas de técnica muito discutível.

Enfim é o que posso tirar desse capítulo do Derby já centarário.


Um Dérbi especial: como estão Corinthians e Palmeiras
Comentários 13

Roberto Avallone

Imagem: Internet

Se normalmente, o Dérbi reunindo Corinthians e Palmeiras já é um capítulo de suspense e mistérios, quanto mais agora no primeiro encontro entre os rivais após a decisão do Campeonato Paulista que terminou em vitória corintiana e muita polêmica. Durante a partida, o clima complicado parece não ter atingido os jogadores, pois não houve brigas entre eles; além do que a decisão por pênaltis ajudou a equilibrar os ânimos dentro de campo.

Mas e agora, passado um tempinho, como estará a disposição, o espírito daqueles que irão ao gramado: eles estarão cordiais,pensando apenas na partida e esquecendo o passado recente ou, por um motivo qualquer, darão trabalho ao árbitro Daronco? Só iremos saber na hora.

Tecnicamente, Corinthians e Palmeiras tiveram uma semana de razoável para boa. E no mínimo, vitoriosa; o Crinthians avançou de fase na Copa do Brasil, ao vencer na noite de quinta-feira, em sua Arena de Itaquera, por 3 a 1- gols de Maycon e dois de Romero contra um de André Lima- o Vitória, com quem tinha empatado em Salvador, no primeiro jogo.Com isso, quebrou uma série de 4 jogos sem ganhar, dois empates e duas derrotas.

Por sua vez, na noite de quarta-feira, em sua estréia na Copa do Brasil, o Palmeiras foi a Belo Horizonte e, mesmo em ser brilhante, venceu o América Mineiro por 2 a 1, com gols de Borja, Keno e Serginho- este, após uma falha incrível do zagueiro Antonio Carlos. Seja lá como for, o Palmeiras completou seu oitavo jogo sem perder(a última derrota foi para o Corinthians, na decisãodo Campeonato Paulista) e encaminhou sua classificação para a próxima fase da Copa do Brasil, para isso bastando um empate no jogo de volta, em São Paulo.

A impressão que se tem é a de o que o Palmeiras vive um momento melhor do que o corintiano, mas todos sabemos que na hora do clássico, do Dérbi centenário isso pode não importar nada, pois o que vai  prevalecer é o momento, dentro de campo. E o jogo será disputado em Itaquera, na Arena corintiana.

Clássico imprevisível.

Mas haveria uma certa lógica se o Corinthians escalasse o menino Pedrinho, habilidoso, candidato a futuro xodõ da Fiel torcida, que já o aplaude e grita seu nome nos jogos que disputa.É um atacante de muito potencial, de futebol vistoso e já apreciado dede os tempos em que ele surgiu na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Do lado palmeirense, já que Felipe Melo cumprirá suspensão na partida, acredito que a melhor e mais simples solução seja a entrada de Thiago Santos em seu lugar. A dúvida, creio, será escolher entre Borja e Willian para compor o ataque com Dudu e Keno.É provável que o técnico Roger Machado escolha Borja- afinal, embora tenha perdido um gol incrível, marcou o primeiro gol e fez assistência perfeita para Keno, no segundo- mas, é visível, Willian está em melhor fase no momento.Problema para Roger resolver.

Qie o grande Dérbi seja disputado em paz. Dentro e fora de campo.


Palmeiras, vitória e vice-liderança. E mais: Corinthians, Grêmio…
Comentários 6

Roberto Avallone

1- Há 17 jogos, o time principal do Atlético Paranaense não sabia o que era perder na Arena da Baixada. seu estádio. Pois o Palmeiras quebrou essa longa invencibilidade, venceu por 3 a 1 e pulou do nono para o segundo lugar do Campeonato Brasileiro, estando com 8 pontos e atrás apenas do Flamengo, que tem 10.

Foi uma façanha!

Em participação importante do técnico Roger Machado- como declarou o atacante Willian, após a partida- que, em nome da tática, deixou no banco de reservas dois jogadores que custaram muito caro, Borja e Lucas Lima. No caso de Lucas Lima, a ação durou apenas 7 minutos porque ele entrou no lugar de Moisés, que sentiu desconforto(ou seria lesão?) muscular; no caso de Borja, no entanto, ele permaneceu no banco o tempo inteiro, pois Willian-principalmente- e Keno apresentavam bom futebol.

O Palmeiras soube marcar o Furacão desde o campo do adversário,tocou bem a bola e encontrou seu primeiro gol, no finzinho da etapa inicial, com Keno passando a bola para Bruno Henrique acertar o alto do canto esquerdo do goleiro Santos. 1 a 0.

No segundo tempo, então, mais solto. o Palmeiras marcou o seu segundo gol(com Marcos Rocha, que aliás teve boa atuação) e o terceiro, em veloz contra-que de Willian, após lançamento de Hyoran.E o Atlético reagiu só no último minuto, quando Pablo marcou o gol de honra. 3 a 1Destaques individuais? Na minha opinião, Marcos Rocha, Edu Dracena, Bruno Henrique. Willian e Keno.

Ah, não concordo que Lucas Lima tenha sido apático ou que tenha jogado mal. Não foi nenhum espetáculo, é verdade, mas acredito que não esteja sendo vítima de apatia ou de mau futebol.E faz pouco tempo que ele jogou bem e até fez gol  contra o Boca, na Bombonera, pois não?

2- Pedidos de pênaltis à parte, pois nenhum deles me pareceu claro(aliás, em um desses lances, o talentoso Pedrinho foi advertido pelo árbitro por simulação), falando do futebol em si, a verdade é que o Corinthians apresentou muito pouco contra o Ceará. E acabou empatando em 1 a 1. Acredito até que o time esteja desgastado pelo acúmulo de jogos- tanto que o ótimo Rodriguinho nem foi relacionado para o jogo- o que é um problema cruel do calendário,pois  mal estamos entrando em maio.

Não é fácil montar e desmontar uma equipe de uma hora para a outra.Por falar nisso, o garoto Pedrinho jogou muito bem e o estreante Róger, centroavante de ofício, mostrou que não está em forma.

3- O Grêmio arrasou o Santos em sua Arena, em Porto Alegre: 5 a 1! Goleada, convenhamos , para ninguém botar defeito. Ainda mais se lembrarmos que no meio da semana, jogando pela Libertadores, o Grêmio massacrou o paraguaio Cerro Porteño por 5 a 0. Foram, então, marcados 10 gols pelos gremistas em curto espaço de tempo, reflexo do excelente jogo de conjunto da equipe de Renato Gaúcho, o que faz que floreçam individualidades como  Luan, Éverton, Athir, Geromel.

Nem vou criticar o Santos aqui. Limitado, o time santista fez o que podia diante da maravilhosa fase do Grêmio.