Blog do Avallone

O Palmeiras, perto do topo. Campeonato embolado
Comentários 4

Roberto Avallone

Foi importantíssima a vitória do Palmeiras sobre o Sport, 1 a 0- gol de Willian-, no Recife, na Ilha do Retiro tomada por quase 20 mil torcedores. Tão importante o triunfo que levou a equipe de Felipão à vice- liderança do Campeonato Brasileiro, com 50 pontos, um ponto menos do que tem o líder São Paulo.

Na verdade, o primeiro tempo não foi dos melhores, com o Sport amarrado(como estão jogando Luan e Gustavo Gómez!) e o Palmeiras sem dinâmica ofensiva, com Jean e Hyoran, sobrando apenas vontade de Deyverson, já que Lucas Lima tinha saído do jogo, lesionado.Em seu lugar,entrou Guerra.

O segundo tempo, no entanto, foi outra coisa.No começo, o Palmeiras dominou, criou chances e as desperdiçou; por sua vez, o Sport tomou coragem, passou a atacar e quase abriu o placar não fosse a grande defesa de Jaílson.

O Palmeiras, aos poucos, começou a ganhar corpo para a vitória. Primeiro, com a entrada de Dudu no lugar de Hyoran, aos 15 minutos; depois aos 34 minutos, Felipão colocou Willian no posto de Jean- e Willian, um minuto depois, em seu primeiro toque na bola mandou-a para o fundo das redes.1 a 0. Foi depois de uma cabeçada de Gustavo Gómez e da rebatida espetacular de Magrão(o goleiro não rebateu a bola já dentro do gol?) que Willian determinou a vitória.

Em uma rodada de tropeços dos que disputavam o topo- o São Paulo, ainda líder, empatou com o Amértica Mineiro, no Morumbi, por 1 a 1; o Inter até então vice-líder empatou com o Corinthians na Arena corintiana, também por 1 a 1. O Inter- que marcou com Leandro Damião em posição de impedimento- tem os mesmos 50 pontos do Palmeiras, tem também o mesmo número de vitórias(14) , mas perde no saldo de gols, o critério de desempate seguinte .

Com as vitórias de Grêmio(3 a 2 diante do Ceará) e Flamengo(2 a 1 sobre o Atlético Mineiro) a briga pelo topo, pela liderança e pelo título, ah essa briga está embolada e tem desfecho imprevisível, pois não se resume a dois candidatos. É um duelo exposto a pelo menos cinco equipes, deixando o Campeonato Brasileiro como um dos mais disputados dos últimos tempos.


Vitória! Palmeiras, pertinho da semifinal da Libertadores
Comentários 2

Roberto Avallone

Visitante indigesto, cinco vitórias em cinco jogos fora de casa nesta edição da Libertadores, o Palmeiras conseguiu importantissimo triunfo sobre o Colo- Colo, 2 a 0(gols de Bruno Henrique e Dudu). em pleno Estádio Monumental de Santiago do Chile. E agora, no dia 3 de outubro, data do jogo de volta, no Allianz Parque, pode até perder por um gol de diferença que , mesmo assim, será semfinalista da Libertadores, enfrentando Boca Juniors ou Cruzeiro.

O Palmeiras começou o jogo como um furacão, surpreendendo e amassando o Colo- Colo de Valdivia e Lucas Barrios em seu próprio campo. E, como prêmio fez seu primeiro gol, logo aos três minutos: Borja roubou a bola de um zagueiro, centrou, Moisés deu um tapinha  para Bruno Henrique arrematar com precisão, 1 a 0.

Depois dos 15 minutos iniciais, o Palmeiras recuou, Valdivia começou a jogar muito e o Colo- Colo cresceu, embora não criasse chances de gol- na verdade, só teve uma, enquanto o Palmeiras, no contra-ataque. tivesse duas ou três.E o primeiro tempo terminou assim,com a expectativa de muitas emoções.

Não foram tantas emoções, na verdade. O Palmeiras jogava com extrema cautela e o Colo- Colo, que estava há 18 dias sem disputar uma partida oficial(que seria bom para um time de idade média alta de seus jogadores-31, 4 anos) , mesmo assim não tinha forças para ameaçar o goleiro Weverton.

Felipão tornou o time mais defensivo, com a entrada de Jean e Gustavo Gómez e a saída, primeiro de Borja e depois de Thiago Santos, ficando o Palmeiras, por momentos, com três zagueiros e três volantes. Ficaria mesmo no 1 a 0?

Pois qual o quê! Brilhou a estrela de Felipão e, no contra-ataque, o Palmeiras consumou a vitória, com o segundo gol: Willian arrancou da esquerda, deu corte seco no zagueiro que o perseguia e chutou na trave esquerda do goleiro Orion; no rebote, com muita calma, Dudu dominou a bola e chutou no alto das redes do Colo- Colo. 2 a 0.

E ainda, no finalizinho, o Colo- Colo teve um de seus jogadores, Pérez, expulso: e nos acréscimos(seis minutos), Lucas Lima entrou no lugar de Dudu e quase marcou um golaço, após driblar dois zagueiros,com estilo.

Só restou ao Palmeiras,então, festejar a vitória que já o deixou, no mínimo, quase semifinalista da Libertadores.


Caso Dedé, na Bombonera. Palmeiras contra Valdivia
Comentários Comente

Roberto Avallone

1- Na minha opinião, foi injusta a expulsão de Dedé, do Cruzeiro, na partida frente ao Boca Juniors, na Bombonera. Classifico a sua entrada contra o goleiro Andrada como fatalidade, acidente de trabalho, talvez apetite demais para ir de encontro à bola: como em fração de segundos o goleiro desviou a bola, a cabeça de Dedé acertou a boca de Andrada, que sangrou muito.

Mas não houve maldade- era fácil a dedução que nem o árbitro Aquino e nem o VAR,  ah nenhum deles detectou que não foi atitude para expulsão. Mas Dedé recebeu o cartão vermelho, foi expulso(a primeira vez desde 2010). o Cruzeiro depois levou o segundo gol(Pérez, em chute forte) e desanimou: precavido para que ainda houvesse chance de reverter a situação, no Mineirão, o técnico Mano Menezes tratou de evitar um terceiro gol argentino e trocou um atacante(Rafinha) ,por um zagueiro Manoel.

Expulsão à  parte, o Cruzeiro não foi aquele timaço que conhecemos e o Boca jogou até melhor. Saiu vencedor do primeiro tempo por 1 a 0, gol do ótimo Zárate e na etapa final, o Boca cresceu com a expulsão de Dedé e consolidou sua vitória com o gol de Perez.

Agora, é esperar.

2- Durante 7 anos, entre a a sua primeira passagem pelo clube e a segunda, Valdivia foi o craque do time do Palmeiras.Habilidoso. senhor dos passes certeiros à meia-distância. às vezes autor de belos gols, creio que teria sido um dos maiores ídolos da história do Palmeiras não fossem as constantes lesões que o atingiram na segunda passagem.

Hoje, aos 35 anos, será Valdivia contra Palmeiras. Ou Palmeiras contra Valdivia. Duelo marcado para o Chile, pela sonhada Libertadores, confronto que gera interesse no geral e curiosidade em particular,pois além de Valdivia, o Palmeiras terá contra ele outro ex-palmeirense,Lucas Barrios.

O Palmeiras vem se dando bem como visitante e sonhar com grande resultado é permitido- mesmo tendo, também, contra ele uma numerosa e inflamada torcida como a do Colo- Colo. E o interesse pelo duelo já se alastrou para  segundo e decisivo jogo, dia 3 de outubro, no Allianz Parque: 30 mil ingressos, até ontem, já tinham sido negociados;

A casa deverá estar cheia.

 


Empate na Vila. Palmeiras, por pouco.Corinthians, virada!
Comentários Comente

Roberto Avallone

1- Rodrygo ganhou do zagueiro com espantosa velocidade, entrou na área do São Paulo, chegou perto do goleiro Sidão e até caprichou no chute,ajeitando o corpo. Mas a bola foi para a fora,rente ao canto esquerdo de Sidão.

Gol perdido.

Não tivesse Rodrygo desperdiçado essa chance e, provavelmente, o Santos teria derrotado o São Paulo, neste domingo à tarde, na romântica Vila Belmiro. O clássico até que foi morno, sem grandes chances de gol para ambos os lados, mas este lance de Rodrygo foi a grande exceção. Que poderia ter decidido o clássico.

O técnico do S ão Paulo,Diego Aguirre, achou razoável ganhar um ponto na Vila, até porque teve problemas em escalar o time sem um lateral- direito de ofício- o que tentou corrigir ao atuar com três zagueiros- Arboleda, Bruno Alves e Anderson Martins- para conter os perigosos atacantes santistas.

Outro motivo, talvez lembrado-mas não falado- é que esse ponto conquistado deixou o São Paulo dormir na liderança, pois o Inter agora é o vice(50 pontos, o São paulo; 49, o Inter) momentâneamente,pois o Colorado joga nesta noite de segunda-feira contra a Chapecoense, em Chapecó, Se empatar ou vencer, o Inter reassumirá liderança; em caso de derrota, no entanto, o São Paulo permanecerá líder exatamente por esse ponto ganho na Vila.

Briga boa essa de São Paulo e Inter!

2- O terceiro colocado do Campeonato, o Palmeiras, 47 pontos, por seu mau primeiro tempo quase foi derrotado pelo Bahia, em Salvador. Aliás o foi, na etapa inicial quando Gilberto,postado pela esquerda, aproveitou o belo passe de Ramires e chutou cruzado. 1 a 0.

O Palmeiras pagava pelo erro de não atacar pelas extremas, de jogar com três volantes e pelas má performances de Vítor Luís, Jean, Hyoran e Borja- este, em um de seus piores dias no Palmeiras No segundo tempo, porém o time mudou.

E como é que mudou? Bem, Marcos Rocha passou a atacar mais pela direita, além de Dudu e depois Wilian- que estavam no banco de reservas- terem entrado, Com eles, o Palmeiras teve mais jogadas, mais ataque e o Bahia já parecia mais cansado.

Assim, surgiu o empate, Dudu cobrou escanteio da direita e, de cabeça, Felipe Melo escorou para o alto do gol de Douglas. 1 a 1.

Acabou sendo um bom resultado para um Palmeiras(que esteve sem Felipão, suspenso), que ainda persegue o topo do Campeonato.

3- De virada! Assim ganhou o Corinthians, em partida onde parecia sem a necessária confiança para exercer o favoritismo, tanto que saiu derrotado(1 a 0, gol de Hernane, de pênalti) do primeiro tempo para o Sport que lutava para sair da zona da degola.

Até a torcida foi ao estádio em número menor do que o habitual(menos de 21 mil  pagantes),numa prova da fase que não é encantadora, apesar do empate sem gols diante do Flamengo, no Maracanã, pela Copa do Brasil, com direito de decidir uma vaga de finalista em casa.

No segundo tempo, no entanto, o Corinthians foi mais Corinthians; atacou, pareceu ganhar liberdade e, aos 13 minutos fez o gol de empate:depois de um bate-rebate na área do Sport, a bola chegou a Jadson que, com surpreendente chute de canhota,tirou a bola do alcance do goleiro Magrão. 1 a 1.

Roger saiu,Romero foi jogar de centroavante e, no finzinho, aos 43 minutos do segundo tempo, o gol da vitória: Clayson lutou pela direita, centrou, Romero desviou de cabeça e Danilo Avelar completou. 2 a 1.Corinthians, de virada!

E com essa vitória, o Corinthians salta para o oitavo lugar do Campeonato Brasileiro, 33 pontos conquistados.


Corinthians, a façanha! Palmeiras, a derrota polêmica
Comentários 11

Roberto Avallone

1-  O Corinthians surpreendeu. Foi defensivo, com três volantes, é verdade; empatar com o Flamengo no Maracanã (0 a 0), no entanto, é uma autêntica façanha para quem vai disputar uma vaga para a final da Copa do Brasil, em casa, na Arena de Itaquera.

Ainda mais para o Corinthians, que não anda bem no Campeonato Brasileiro e vinha de derrota no clássico diante do Palmeiras, já com seu novo técnico, Jair Ventura. Aliás, após o jogo, Jair Ventura disse que o esquema tático para o jogo decisivo contra o Flamengo pode ser completamente diferente e que conta com a festa (vibração) da torcida em itaquera.

Sobre jogar com três volantes, Jair disse que foi com a intenção de liberar mais Jadson para o ataque-no que concordo (em relação a Jadson), pois ele é meia de bom toque de bola, de arremate preciso, além de ser importante nas bolas paradas. Por sua vez, Barbieri, técnico do Flamengo falou que na Arena corintiana, é bem provável que o Flamengo tenha mais espaço para jogar, pois o Corinthians, em casa, vai querer propor o jogo e se expor mais.

Quanto ao jogo desta quarta-feira, o Corinthians jogou fechadinho e no contra-ataque, mesmo assim tendo duas oportunidades para marcar, uma com Clayson e outra com Romero: o Flamengo teve mais posse de bola, obrigou Cássio a duas boas defesas, mas também não teve as chances reais de gol esperadas.

Por sinal, em partida de mata-mata, o Flamengo tem deixado a desejar. Não sei como será  na Arena do Corinthians.

2-  Acompanho o que disse o ex- árbitro (muito bom, aliás) Leonardo Gaciba, atual comentarista de arbitragem, no programaTroca de Passes, no SporTV. Ele considerou normal o lance que aconteceu no último minuto do jogo entre Palmeiras e Cruzeiro e que não conseguiu ver falta no goleiro Fábio, do Cruzeiro.

Eu também não vi.

É verdade que o árbitro Wagner Reway apitou antes de Antonio Carlos chutar para as redes do Cruzeiro (no que seria o gol de empate do Palmeiras),mas vi Fábio e Edu Dracena no que poderia ser chamado de disputa de lance. É no mínimo um lance polêmico o que,acredito,suficiente para que o VAR fosse acionado para dirimir qualquer dúvida.Não falo em premeditação,, falo apenas de possível erro- a falta que não vi, que Gaciba não viu e que muita gente também não.

Aliás, só no final a partida esquentou de vez, quando o jogo mais parecia ataque contra defesa, com o Palmeiras atacando e o Cruzeiro, com dez jogadores (Edilson foi expulso), sobrevivendo: duas bolas na trave esquerda de Fábio, uma chutada contra por Egidio (o goleiro ainda bateu na bola) e outra por Lucas Lima, de pé direito, no travessão.

O Cruzeiro, no primeiro tempo, teve até mais qualidade, embora jogasse no contra-ataque. E fez um gol logo aos 4 minutos, através de Barcos, El Pirata, que surgiu livre, na área, deu um totozinho para encobrir Weverton. Cruzeiroi, 1 a 0.

No segundo tempo, com a entrada de Lucas Lima no lugar de Thiago Santos, o Palmeiras melhorou, atacou ainda mais depois que Edilson foi expulso e fez por merecer o empate- se é que isso existe em futebol. Mas não chegou a encantar  ou exibir o nível técnico de uma equipe que começou em casa a disputar uma vaga na final da Copa do Brasil.

Fica a polêmica do último minuto. O que não muda a atuação da equipe, que foi abaixo do que se esperava..


Palmeiras, o senhor do Dérbi.E a briga pela liderança
Comentários 4

Roberto Avallone

1- Justíssima a vitória do Palmeiras sobre o Corinthians, no Dérbi secular.Foi o melhor time o tempo inteiro, mais especialmente no segundo tempo, com o crescimento de produção de Dudu e as perigosas investidas de Deyverson- o autor do gol da vitória, 1 a 0, desviando com o pé esquerdo um precioso centro de Marcos Rocha, vindo da direita.

E o Corinthians? Bem, na estréia de Jair Ventura a equipe não foi quase nada diferente do que vinha sendo com Osmar Loss, encolhido na defesa e quase inofensivo no contra-ataque, a tal ponto que não me lembro de nenhuma grande defesa do goleiro palmeirense, Weverton.

A impressão que se teve foi a de, muito mais pelo segundo tempo,1 a 0 para o Palmeiras foi pouco. Tanto pela busca do gol- Dudu quase fez o segundo, passando por três corintianos e acertando, em cheio, o travessão-quanto pelas dúvidas criadas em relação a dois supostos pênaltis não marcados para o Palmeiras, um em Deyverson e outro em Marcos Rocha.Na minha opinião, existiu o pênalti em Deyverson; fico em dúvida sobre o que envolveu Marcos Rocha, acho que não o teria marcado.

Mas, apesar dos nervos à flor da pele dos litigantes do clássico, o Palmeiras venceu e convenceu. Já o Corinthians, que às vezes surpreende em momentos difíceis, está jogando mal(nem Jadson apareceu bem), teve Pedrinho e Romero rendendo abaixo do esperado,viveu na defesa e, na teoria, corre risco grande conra o Flamengo, pela Copa do Brasil. Ou será que vai aprontar alguma surpresa, vindo da superação?

O Palmeiras também tem jogo por semifinal da Copa do Brasil, o Cruzeiro. Seu problema maior é com quem poderá contar no time, já que Felipe Melo e Deyverson estão suspensos: e Bruno Henrique e Borja com problemas na panturrilha. Se jogar sem nenhum centroavante é difícil, precisando ganhar em casa- a não ser que Willian comande o ataque de maneira inspirada, como se fosse o camisa 9.

Felipão foi expulso de campo, logo após colocar Willian no lugar de Deyverson, para jogar 15 minutos, Mas, reconheço: tem feito ótimo trabalho, dotou a equipe de muita vibração e seria injusto não reconhecer seus méritos.

2- Segue dura a luta entre São Paulo e Inter, Inter e São Paulo, pela liderança do Campeonato Brasileiro. E a diferença entre ambos é mínima, apenas um gol de vantagem para o Inter no saldo de gols, critério de desempate, pois ambos estão com 49 pontos,

Por quase um dia inteiro, o São Paulo tinha reassumido a liderança por bater, no sábado, o Bahia, 1 a 0, gol do melhor do time nessa partida, na minha opinião, Diego Souza. Não teve o tricolor um futebol exuberante.mas a vitória agradou a torcida de mais de 43 mil pagantes.

No domingo, no entanto, depois de jogo brigado e com não muitas chances de gol, o Inter reassumiu a liderança. E o fez ao vencer o grande rival, o Grêmio, por 1 a 0, gol de Edenilson, de cabeça, aos 14 minutos do segundo tempo. Bela campanha a do Inter, que voltou bem para a Série A, depois de ter disputado a Série B no ano passado.

Assim, com Inter e São Paulo no topo,ainda surgem, próximos, o Palmeiras com 46 pontos e o Flamengo com 44, compondo o atual G- 4. Briga muito boa pela liderança.


O Corinthians de Jair Ventura e o Dérbi com o Palmeiras
Comentários 3

Roberto Avallone

Foto: Getty Images

Existe uma tendência, ainda não confirmada oficialmente, de que a estréia de Jair Ventura- o novo técnico do Corinthians- aconteça diante do Palmeiras,no secular Dérbi do futebol paulista. Se for isso mesmo, será um ingrediente a mais para o velho clássico ser disputado com''casa cheia'': até o meia- dia desta quinta-feira, uma parcial de vendas de ingressos indicava que 35 mil já tinham sido negociados.

O que leva a crer que, até a hora do começo do jogo, tenha sido vendido o restante- ou quase tudo- deixando o estádio lotado para esse duelo que, em outros tempos, teve público de 12o mil pagantes, como por exemplo, no Morumbi, em 1974, quando Palmeiras e Corinthians disputaram a final do Campeonato Paulista. O público foi por aí, nessa dimensão.

Quanto a Jair Ventura, jovem técnico, 39 anos, filho de Jairzinho '' Furacão'' da Copa de 1970, foi uma boa contratação do Corinthians? Eu diria que foi uma boa aposta, não uma certeza, pois esse termo é sempre jogado às provas e dos resultados do campo. Boa aposta, repito, pelo que Jair fez no Botafogo, com elenco modesto, levando a equipe a boas campanhas na Libertdores e na Copa do Brasil.Já no Santos, no entanto, Jair Ventura não repetiu as proezas.

No Corinthians, creio, Jair terá vários jovens jogadores que, desenvolvidos,poderão dar ao Corinthians o que o clube deseja- uma equipe de novos valores capazes de, no futuro, reviver a saga de vitórias que fez de Carille, por exemplo, um sucesso. E relembrar, se ao time forem agregados mais dois ou três jogadores talentosos e ''cascudos'' quem sabe viva um peródo que faça lembrar o tempo de glórias de Tite e, em muitos momentos de Mano Menezes.

São os resulados dos campos que irão decidir.

Jair terá pela frente, logo de cara, desafios como o  Dérbi com o Palmeiras e a disputa de uma das semifinais da Copa do Brasil diante do Flamengo-este jogo, no Maracanã, Paradas durissimas. E decisivas para a tranquilidade do técnico em sua caminhada,

O primeiro desafio, o Palmeiras (para irmos por partes) está feliz com Felipão- que vai completar 70 anos-, o técnico que deu uma regularidade que o time não tinha.O Palmeiras está a três pontos do topo- o líder Inter e o vice São Paulo têm 46 pontos, três pontos a mais do que a equipe de Scolari- e a torcida, animada, está na base do apoio.

Reflexo dos resultados do campo e dos jogos. Como sempre acontece.


Luxa no Corinthians? E Inter, São Paulo, Palmeiras…
Comentários 4

Roberto Avallone

1- A pergunta é pertinente- Luxa no Corinthians?- pois não se trata de nenhuma informação oficial ou que tenha vindo da direção corintiana.Trata-se mais de uma especulação, nascida de uma conversa com um senhor corintiano, que não tem, já há algum tempo, cargo na gestão do clube que ama. Mas nem por esse motivo deixa de estar sempre ligado no futebol e que me disse com franqueza, de seu respeito pelo técnico Vanderlei Luxemburgo.

E então, falando honestamente com o internauta, estou partindo de um sonho de um apaixonado corintiano. Não de uma informação, está claro? Mas com a queda de Osmar Loss após a derrota para o Ceará- ele não será demitido, mas trabalhará como auxiliar na Comissão do novo técnico, vem a reflexão sobre quem será  o novo senhor do futebol.

Comentou-se o nome de Abel Braga, mas pelo que me consta ele prefere trabalhar no começo de uma temporada, ou seja, em princípio só ano que vem; falou-se em Roger Machado- que até mostrou certas virtudes nos clubes que dirigiu-mas não chegou a se firmar, ainda, e faz pouco tempo que saiu do Palmeiras, onde agora está Felipão.

O próprio sucesso de Felipão- que levou o Palmeiras a ficar coladinho aos líderes do Campeonato, de uma certa maneira ressalta a competência e ameniza muito a diferença entre os técnicos de mais idade com os de menos idade. O que vale é o talento – e a experiência ajuda muito, em alguns casos.

E Vanderlei Luxemburgo (neste caso, falo por mim e pelas lembranças) já fez trabalhos extraordinários por vários clubes;entre eles, o Palmeiras-bicampeão palista e bicampeão brasileiro- pelo Corinthians. campeão paulista, campeão brasileiro, tão bom trabalho que foi para a Seleção; pelo Cruzeiro, em 2003, onde ganhou muitas competições; pelo Santos campeão; pelo Bragantino, campeão paulista. E já treinou até o Real Madrid.

Está certo  que há tempos não desenvolve um trabalho tão marcante como os acima citados, mas esses outros exibem a sua capacidade de montar belas equipes.

E, então, quem sabe Luxa reviver seus tempos de ouro?

Pode ser uma tese. Pode ser uma verdade.

2- A liderança do Campeonato Brasileiro, neste momento, mudou de mãos. Por uma questão minima, no saldo de gols, pertence ao Inter. Isso porque em dois jogos que aconteceram ao mesmo tempo na noite de quarta-feira, o Atlético Mineiro venceu o São Paulo, por 1 a 0, gol contra de Régis; e o Inter, em Porto Alegre, derrotou o Flamengo com gols de Pottker, Vitinho e Rodrigo Dourado.

E daí é que ambos, Inter e São Paulo, chegaram aos 46 pontos, têm também o mesmo número de vitórias, mas no saldo de gols o Inter tem 17 e o São Paulo, 16. Diferença minima, mas que vale. Embora a esta altura do Campeonato não pode, nem de longe, ser chamada de decisiva.

O que impressiona no Inter é a sua dedicação em todos os jogos, quase em uma compensação ao fato ter disputado a Série B, no ano passado; no São Paulo, a impressão que se tem é a de os desfalques pesaram muito, com o time sentindo, princpialmente as ausências de Diego Souza, Arboleda, Éverton (Reinaldo está atuando mais como ponta-esquerda) e Bruno Peres.

3-  O Palmeiras venceu o Atlético Paranaense por 2 a 0- gols de Willian Moisés (pênalti)- saltando para o terceiro lugar no Campeonato Brasileiro,pelo menos momentâneamente (o Grêmio enfrenta o Santos, nesta quinta, em SãoPaulo).

Depois de um primeiro tempo bem discreto, com supremacia dos meio- campistas e dos zagueiros, o jogo mostrou um Palmeiras diferente no segundo tempo, quando fez os gols e venceu. Willian foi decisivo para partida, marcando o primeiro gol aos 25 minutos e sofrendo o pênalti (do goleiro Santos). que Moisés, aos 49 minutos desse segundo tempo, converteu em 2 a 0.

Menção especial, no entanto, para Deyverson que incendiou o ataque. E isso, jogando pouco mais de 20 minutos: ele teve tempo de lançar Willian para marcar o primeiro gol, de roubar a bola em sia própria defesa, de infernizar os  zagueiros adversários e ainda de perder um gol certo, chutando à queima-roupa para defesa de Santos.

Parece que o Palmeiras, agora, entrou mesmo na briga pelo título.


Surpresas e emoções no difícil Campeonato Brasileiro
Comentários 2

Roberto Avallone

Bem, mais do que surpresa, foi uma verdadeira zebra a vitória do Ceará diante do Flamengo, por 1 a 0, com gol de Leandro Carvalho, do jeito que convinha a um ato inesperado: de fora da área, ele deu um corte sutil em um zagueiro e chutou rasteiro; o goleiro Diego Alves foi para a defesa no canto certo, mas, caprichosa, a bola quicou à sua frente e o encobriu. Vitória do Ceará, vaias para os jogadores do Flamengo, até com Everton Ribeiro pedindo desculpas à torcida, pelo que acontecera no Maracanã, em ensolarada manhã.

Surpresa foi, sim, o que se passou com o líder do Campeonato, o São Paulo, agora com 46 pontos. Com muita gente no Morumbi, desfalcado de Nenê e Éverton, o São Paulo não encontrou seu jogo e piorou, ainda mais, com a expulsão de Diego Souza, ainda no primeiro tempo. Além disso, na etapa final,Anderson Martins saltou em sua área e, mesmo livre, cabeceou forte, para trás; o goleiro Sidão estava saindo e só acompanhou a bola entrando em suas redes.

Além disso,neste período, o Flu chutou uma bola no travessão, Perdendo por 1 a 0 e com um jogador a menos como o líder São Paaulo iria reagir ? Pois reagiu. A entrada do centroavante Tréllez foi muito importante  e ele empatou o jogo, de cabeça, após centro de Régis, da direita. 1 a 1.

Não foi quase nada além disso para o lado do São Paulo. A melhor chance de desempatar quem teve foi o Fluminense, com Matheus Alessandro livre, pela esquerda, chutar e acertar a trave esquerda do goleiro Sidão, Seria o gol da vitória.

Mas mesmo com a surpresa de não ter vencido, o São Paulo terminou a partida com a certeza de que a liderança estava mantida,fosse qual fosse o resultado entre o Cruzeiro e o vice- líder Inter, no Mineirão.Deu empate de 0 a 0, o goleiro do Inter, Marcelo Lomba,teve tarde de herói, mas o Inter continua três pontos atrás do São Paulo.

Entre os concorrentes até agora mais fortes- não mais do que seis- o Palmeiras quebrou o tabu de nunca ter vencido a Chapeoense em Chapecó, desta vez ganhando, por 2 a 1, com ótima exibição de Felipe Melo e gols de Hyoran e Borja(este, um gol de autêntico centroavante) contra um gol da Chape, marcado de cabeça por seu zagueiro de 1 metro e 90, Rafael Thyere.O Palmeiras chegou aos 40 pontos.

No sábado, outro forte concorrente(quando joga completo) também chegou aos 40 pontos e com placar reluzente: o Grêmio, que sapecou 4 a 0 no Botafogo, o que o deixou um gol à frente do Palmeiras no saldo de gols- 18 a 17, ficando os gremistas com a quarta posição.

Ainda desse grupo dos seis, o Atlético Mineiro empatou com o Corinthians, 1 a 1,no sábado, na Arena de Itaquera, em partida abaixo do que se esperava, mas que teve um belo gol de Pedrinho- a bola bateu no travessão, voltou para as costas do goleiro Victor e entrou- e um pênalti bem cobrado por Fábio Santos. O Galo foi a 35 pontos,em sexto lugar.

E não deixou de ser surpresa, não a vitória, mas a maneira como  o Santos venceu o Vasco, com mais de 30 mil pessoas, no Maracanã: 3 a 0! E com três gols de Gabigol, que parece ter reencontrdo seu jeito de anotar gols e agora é o artilheiro do Campeonato Brasileiro- ao lado de Pedro, do Fluminense- com 10 gols.

Ufa! Que rodada…


Palmeiras classificado. Com derrota e sofrimento!
Comentários 8

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

O sofrimento palmeirense começou cedo. Logo aos três minutos de jogo, sem que nenhum ato hostil tivesse ainda surgido, em bola morta, na intermediária do Cerro Porteño, o veterano e experiente Felipe Melo atingiu com violência a perna do paraguaio Vítor Cáceres, camisa 14. O árbitro deu a Felipe o cartão amarelo e, em seguida, ao ver que Cáceres (caído, ainda) tinha se machucado mais do que se tinha imaginado, puxou o cartão vermelho e expulsou de campo o volante palmeirense.

Pronto: o Palmeiras estava condenado a atuar com um jogador a menos, praticamente a partida inteira e mais os acréscimos. Como se comportaria? Bem, a equipe de Felipão recuou, a do Cerro cresceu- e muito! Chegou a ter 73 por cento de posse de bola, além de criar chances de gol contra duas que teve o Palmeiras- em uma delas, depois de boa jogada de Borja, Willian chutou para a defesa do goleiro paraguaio.

Mas, tempo passando, cansaço chegando,insinuava-se um segundo tempo muito difícil para os palmeirenses. O mar virou sertão, o sertão virou mar: a classificação do Palmeiras que. parecia tranquila após a vitória de 2 a 0 no Paraguai, dependeria dos nervos do time e da confiança do Cerro.

Confiança que chegou antes dos 15 minutos da etapa final, pois que, com um pouco de sorte, Arzamendia transformou um possível centro em chute no ângulo esquerdo de Weverton, que falhou. Cerro, 1 a 0.

Viria sufoco pela frente, pois mesmo com dez jogadores era para o Palmeiras ter jogado melhor. mais senhor das ações, embora tivesse de ser cauteloso. Foi mais do que cauteloso, pois recuou, recuou tanto que o Cerro fez espécie de ''ataque contra defesa'', com impressionantes 73 por cento de posse bola!

Foi aí que, vendo a situação mais difícil, Felipão tirou Borja e colocou Thiago Santos (mais tarde, colocaria Deyverson, que também foi expulso) para recompor a marcação dos volantes e a proteção aos zagueiros. A classificação, antes tão aparentemente natural, virou drama. E com muito sofrimento.

Mesmo assim, o Palmeiras conseguiu perder só de 1 a 0, garantindo a sua classificação, avançando na Libertadores. O confronto, agora, é com o Colo- Colo de Valdivia.