Blog do Avallone

Corinthians, a façanha! Palmeiras, a derrota polêmica

Roberto Avallone

1-  O Corinthians surpreendeu. Foi defensivo, com três volantes, é verdade; empatar com o Flamengo no Maracanã (0 a 0), no entanto, é uma autêntica façanha para quem vai disputar uma vaga para a final da Copa do Brasil, em casa, na Arena de Itaquera.

Ainda mais para o Corinthians, que não anda bem no Campeonato Brasileiro e vinha de derrota no clássico diante do Palmeiras, já com seu novo técnico, Jair Ventura. Aliás, após o jogo, Jair Ventura disse que o esquema tático para o jogo decisivo contra o Flamengo pode ser completamente diferente e que conta com a festa (vibração) da torcida em itaquera.

Sobre jogar com três volantes, Jair disse que foi com a intenção de liberar mais Jadson para o ataque-no que concordo (em relação a Jadson), pois ele é meia de bom toque de bola, de arremate preciso, além de ser importante nas bolas paradas. Por sua vez, Barbieri, técnico do Flamengo falou que na Arena corintiana, é bem provável que o Flamengo tenha mais espaço para jogar, pois o Corinthians, em casa, vai querer propor o jogo e se expor mais.

Quanto ao jogo desta quarta-feira, o Corinthians jogou fechadinho e no contra-ataque, mesmo assim tendo duas oportunidades para marcar, uma com Clayson e outra com Romero: o Flamengo teve mais posse de bola, obrigou Cássio a duas boas defesas, mas também não teve as chances reais de gol esperadas.

Por sinal, em partida de mata-mata, o Flamengo tem deixado a desejar. Não sei como será  na Arena do Corinthians.

2-  Acompanho o que disse o ex- árbitro (muito bom, aliás) Leonardo Gaciba, atual comentarista de arbitragem, no programaTroca de Passes, no SporTV. Ele considerou normal o lance que aconteceu no último minuto do jogo entre Palmeiras e Cruzeiro e que não conseguiu ver falta no goleiro Fábio, do Cruzeiro.

Eu também não vi.

É verdade que o árbitro Wagner Reway apitou antes de Antonio Carlos chutar para as redes do Cruzeiro (no que seria o gol de empate do Palmeiras),mas vi Fábio e Edu Dracena no que poderia ser chamado de disputa de lance. É no mínimo um lance polêmico o que,acredito,suficiente para que o VAR fosse acionado para dirimir qualquer dúvida.Não falo em premeditação,, falo apenas de possível erro- a falta que não vi, que Gaciba não viu e que muita gente também não.

Aliás, só no final a partida esquentou de vez, quando o jogo mais parecia ataque contra defesa, com o Palmeiras atacando e o Cruzeiro, com dez jogadores (Edilson foi expulso), sobrevivendo: duas bolas na trave esquerda de Fábio, uma chutada contra por Egidio (o goleiro ainda bateu na bola) e outra por Lucas Lima, de pé direito, no travessão.

O Cruzeiro, no primeiro tempo, teve até mais qualidade, embora jogasse no contra-ataque. E fez um gol logo aos 4 minutos, através de Barcos, El Pirata, que surgiu livre, na área, deu um totozinho para encobrir Weverton. Cruzeiroi, 1 a 0.

No segundo tempo, com a entrada de Lucas Lima no lugar de Thiago Santos, o Palmeiras melhorou, atacou ainda mais depois que Edilson foi expulso e fez por merecer o empate- se é que isso existe em futebol. Mas não chegou a encantar  ou exibir o nível técnico de uma equipe que começou em casa a disputar uma vaga na final da Copa do Brasil.

Fica a polêmica do último minuto. O que não muda a atuação da equipe, que foi abaixo do que se esperava..