Blog do Avallone

Na vitória do Palmeiras, um golaço de Borja. E o empate do Santos

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

1- O melhor jogador do Palmeiras, mais uma vez, foi Keno,Ah, ele fez o primeiro gol,depois deixou Willian na cara do gol (perdido), driblou, ganhou bola pelo alto: em grande fase, fez de tudo. E além disso, escorou um chutão de Fernando Prass  para Borja- que entrara no lugar do lesionado Willian- fazer o que há muito tempo não conseguia: gol, o segundo do Palmeiras na vitória sobre a Ponte Preta, por 2 a 0.

Eu disse gol de Borja. Perdão, Foi um golaço! Ele recebeu de Keno, como já disse, deu um ''chapéu'' no goleiro Aranha e completou de cabeça: a bola ainda bateu na trave direita, antes de entrar, mansa, no fundo das redes.Será um indício de que pelo menos poderá existir esperança pela recuperação do futebol de Borja, o que já parecia um caso perdido?

Quem sabe… Já vi muitos casos em que jogadores conseguiram se recuperar. Ainda é muito cedo para dizer que Borja terá êxito nessa missão, mas se ele jogava bem no Nacional de Medellin é possível que, ao ganhar confiança e jogar perto da área,esse golaço de Borja sirva para lhe dar confiança para voltar a ser o artilheiro que era.

Pode ser também que não. Só o tempo vai dizer qual será a realidade dese centroavante.

Quanto ao Palmeiras como um todo, achei que jogou bem, sem dúvida melhor do que a Ponte Preta, saindo de campo merecedor da vitória que obteve e que o deixa momentânea mente em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro, com os mesmos 50 pontos do Grêmio (perdendo para este no saldo de gols) e do Santos (a quem vence no número de vitórias,15 a 13).

Está indo bem o técnico Alberto Valentim, por enquanto interino; depois, como é grande a chance de Mano Menezes- o preferido para o futuro- continuar no Cruzeiro, ainda não se sabe.

Foto: Diivulgação

2- Já o Santos, mais uma vez, perdeu a chance de se aproximar do líder Corinthians. Depois de sair na frente com um gol de Ricardo Oliveira, disputou um insatisfatório segundo tempo,quando foi dominado pelo Sport, e cedeu o empate aos 38 minutos da etapa final,com o gol de Rogério.

Mesmo assim, atuando recuado mas com Lucas Lima inspirado, quase marcou o gol da vitória, perdido por Kaike. Novamente, fez muita falta o atacante Bruno Henrique (lesionado), jogador do drible fácil e de bom arremate, além da estatura suficiente para a disputa nas bolas altas.

No momento, repito, embora tenha os mesmos 50 pontos de Grêmio e Palmeiras, o Santos está em quarto lugar, lutando ainda pelo topo ou por melhor colocação,sendo impossível dizer-tão equilibrado o duelo entre esses três clubes- se vai chegar mais longe ou não.Mas que os empates contra o Vitória e o Sport atrapalharam -e muito- o Santos, quem há de duvidar?