Blog do Avallone

Corinthians: gol irregular e nova arrancada. São Paulo: vitória de ouro

Roberto Avallone

Imagem: Reprodução Tv Globo

Houve uma quase unanimidade, pois o lance foi claro- e vi muitas vezes a jogada no replay da tevê: Marquinhos Gabriel fez linda jogada pela esquerda, centrou, e Jô- já praticamente em cima da linha- impulsionou a bola, com o braço direito para o fundo das redes. Para desespero do goleiro do Vasco, Martin Silva, que ficou um tempão mostrando o braço.

Foi um equivoco  a arbitragem validar o gol. Não acredito em outra coisa senão no equivoco, nada proposital. Mas fico a pensar que, mais cedo ou mais tarde-porque às vezes a visão dos árbitros pode estar encoberta- que será necessária a presença do tão falado árbitro de vídeo, que, contando com a tecnologia, poderá dirimir a dúvida de lances decisivos como esse.

Gol de Jô à parte, ficou clara a superioridade da equipe corintiana sobre o Vasco e várias as chances de gol desperdiçadas. E aí entra a discussão da justiça ou não do placar: o Corinthians jogou mais, sim, mas não teria vencido não fosse  o gol de Jô- por essas coisas do futebol. Mas venceu. E jogou razoavelmente bem. Com isso, distancia-se na liderança, é o grande favorito para a conquista do título  e está a 10 pontos do vice-líder, o Grêmio, que perdeu em casa para a Chapecoense.

É muita coisa. Está certo que ainda faltam muitas rodadas, que ''em futebol tudo pode acontecer'', coisa e tal, mas alcançar o Corinthians parece missão impossível. Pelo menos parece.

2- Foi animador o triunfo do São Paulo diante do Vitória em Salvador. O resultado ainda não tira o tricolor da zona do rebaixamento, mas está por pouco: empatado em número de pontos com o Bahia, o São Paulo perde no critério de desempate (menos quatro no saldo de gols, contra menos dois do Bahia), além de acirrado duelo entre outras equipes para ficarem de fora da zona da degola.

Cueva, que entrou no intervalo para disputar o segundo tempo, foi o jogador decisivo para o São Paulo: no primeiro gol, deu assistência para Pratto (que deu em escanteio) e assistência, depois, para Militão marcar de cabeça:  e o segundo gol, então, cobrança de mestre de escanteio pela esquerda. Gol olímpico!

O Vitória ainda descontou, com Tréllez, mas a tarde era mesmo do  São Paulo. Será o começo da arrancada para despachar o susto?