Blog do Avallone

Flamengo e Cruzeiro, deu empate de 1 a 1

Roberto Avallone

Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo

Com  arrecadação superior a 7 milhões de reais, com  mais de 65 mil pessoas (público  total) no Maracanã, Flamengo e Cruzeiro começaram a decidir a Copa do Brasil. Na teoria, melhor para o Cruzeiro, que precisa, agora, de uma vitória simples, no Mineirão para ser o campeão. Na teoria, eu disse, pois que na prática, não há resultado simples (e nem conta critério de gol marcado fora para o desempate) quando estão em campo duas equipes de estilos diferentes, é verdade, mas com igual poderio.

E até que, no segundo tempo, o Flamengo esteve bem perto de conseguir a vitória, guiado por Arão, seu melhor jogador nesta noite de quinta-feira. Isso, apesar da polêmica no gol de Lucas Paquetá que, em minha opinião, depois de muito ver o lance, estava adiantado (impedido), após a cabeçada de Arão que Fábio defendeu de maneira espetacular, espalmando a  bola. Mas não foi lance fácil de ser definido.

Com o gol, o Fla continuou atacando, o Cruzeiro mais firme na marcação, com tudo parecendo indicar a vitória flamenguista. Mas, perto dos últimos minutos, Hudson arriscou o chute, o goleiro Thiago rebateu mal a bola (espécie de ''bate- roupa'') e o uruguaio De Arrascaeta (que entrara no lugar de Thiago Neves) empurrou para o fundo das redes. 1 a 1

Foi um grande jogo? No primeiro tempo, não. O Flamengo mais ofensivo, é verdade, mas o Cruzeiro extremamente eficiente na marcação, com poucas chances de gol criadas, a melhor delas em uma cabeçada de Arão que o ótimo goleiro Fábio defendeu. No segundo tempo, no entanto, o jogo teve mais cara e jeito de decisão, naquela toada de o Flamengo buscar o  ataque o Cruzeiro ficar mais na manha, na base do contra-golpe.

Na média-  com tensão, polêmica e vibração do público- a partida foi  quente. Talvez seja até melhor no jogo de volta, no Mineirão, quando tudo será decidido.