Blog do Avallone

Técnico estrangeiro no nosso futebol. Será uma boa?

Roberto Avallone

Reinaldo Rueda, ex- Nacional de Medellin, estreou como técnico do Flamengo.Foi empate de 0 a 0 com o Botafogo, é verdade, mas aconteceu fora de casa, o que valoriza o resultado um pouco mais. Quanto ao futebol, não se viu muito- o que não pode ser atribuído ao técnico campeão da Libertadores no ano passado. Ah, no Nacional Rueda fez ótimo trabalho.

Respondendo à própria pergunta do título, se ter gringo dirigindo equipe brasileira, confesso que atualmente estou em dúvida. Que eu me lembre, as mais recentes experiências não foram empolgantes: Edigardo Bauza e Osório, no São Paulo;; Gareca, no Palmeiras;Paulo Bento, no Cruzeiro; Aguirre, no Inter, etc, etc.

Posso ter me esquecido de alguém que tenha dado certo, pode ser.Mas algo mudou entre os treinadores de fora e o mundo de nosso futebol,quem sabe a linguagem,o jeito de motivar, de ver o futebol, sei lá. Mas algo mudou.

Em outros tempos, vários gringos fizeram sucesso dirigindo equipes brasileiras. No Flamengo, por exemplo, um paraguaio, Fleitas Solich liderou o time tricampeão carioca(1953, 54 e 55),em época de alta dos Campeonatos Estaduais; o argentino Filpo Nuñes montou um fantástico Palmeiras campeão do Rio- São Paulo de 1965, enquanto outro argentino, Alfredo Gonzalez foi vice-campeão da Libertadores em 1968, cabendo ao uruguaio Ventura Cambón a glória de dirigir a equipe palmeirense em sua maior conquista- a Copa Rio de 1951.

Daria um livro as passagens e as conquistas de técnicos estrangeiros como os húngaros Bela Gutman, em 1957 no São Paulo, e Dori Krushner nos anos 30 no Flamengo-assim como as boas temporadas de José Poy pelo tricolor paulista, clube que, antes, defendera como goleiro.

Há outros, mas os já citados, servem como exemplo. Davam certo. Quem sabe voltem ao sucesso, entre nós, agora?

Pode ser.