Blog do Avallone

Hernanes, na épica virada tricolor! Palmeiras, o gol de Deyverson

Roberto Avallone

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc..net

1- Não foi só ele, é verdade, mas Hernanes teve papel muito especial em sua (re) estreia pelo São Paulo, na sensacional  virada do tricolor sobre o Botafogo, no Rio, por 4 a 3! Convém lembrar que o Botafogo vencia por 3 a 1 até  os 39 minutos do segundo tempo. Era improvável a virada  ou algo que evitasse a derrota do São Paulo, que estava na zona do rebaixamento.

Era improvável, mas não impossível: guiado por Hernanes, o São Paulo não desistiu da luta e nem do ataque. Marcou o segundo gol com outro estreante, Marcos Guilherme, de cabeça; e aos 42 minutos desse segundo tempo, Cuevas cruzou, Hernanes chutou de direita, reblte, novo arremate de Hernanes, desta vez de canhota e…Gol! 3 a 3, que ainda se transformaria em 4 a 3, com mais um gol de Marcos Guilherme.

Vitória!

Foi um bom jogo, emocionante em muitos momentos.O São Paulo saiu na frente (Cueva), o Botafogo virou(2 gols de Marcos Vinicius), o tricolor teve a chance de empatar- Cueva cobrou o pênalti que Gatito Fernandes defendeu, no canto esquerdo), o Bota fez 3 a 1 (Guilherme) e depois surgiu a sequência de gols citados acima que levaram o São Paulo à grande vitória.

O que fez então, de tão decisivo, Hernanes? Um pouco de tudo: além do terceiro gol tricolor, ele tentou dribles, chutes, passes. Não acertou tudo, estava sem jogar desde o dia 21 de junho, mas organizou a equipe, vibrou como se fosse um principiante, teve a sabedoria de um veterano, comemorou o gol que fez com acrobática cambalhota.

Foi o nome do jogo, o herói do São Paulo, que neste momento já não está mais na zona da degola

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

2- Em meio à desilusão pela eliminação da Copa do Brasil e também pela repercussão do caso Felipe Melo(que pode se transferir para outro clube, se quiser), o Palmeiras até que jogou bem e venceu o Avaí por 2 a 0, na noite deste sábado. Na minha opinião, o melhor do time foi Dudu- autor do primeiro gol, aliás de bela feitura), mas importante mesmo para a sua trajetória no clube acabou sendo o gol de Deyverson, o segundo do Palmeiras e o primeiro do atacante em seu novo clube.

Foi, digamos, um gol de muito oportunismo, depois de jogada bem trabalhada por quase todo o ataque, pelo lado direito: bola passada de pé em pé, até chegar em Deyverson, que girou e, de pé esquerdo, mandou a bola para as redes. Importante esse gol para ele, pois lhe dá respaldo e confiança para seguir em frente, sem o peso do jejum de gols que persegue Borja, este a mais  cara contratação da história do Palmeiras.

Não sei se o futuro continuará sendo risonho para Deyverson ou se Borja, de surpresa,atuará como nos tempos de Nacional de Medellin. Ninguém sabe.Mas o fato é que a bola está com Deyverson…