Blog do Avallone

Palmeiras, vitória com emoção! E sufoco desnecessário

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Poderia ter sido uma vitória mais fácil, por placar mais amplo, sem sufoco. Poderia. Se o belo segundo tempo fosse pelo metade da confusa etapa inicial; se as chances claras fossem convertidas em gol- por exemplo, o pênalti mal cobrado por Borja e o lance perdido por Willian, chutando na trave, depois de driblar o goleiro; se houve mais atenção nas bolas aéreas do Peñarol, as únicas armas de um time de tanta História mas, hoje, de grande limitação.

Mas como o ''se'' não existe em futebol, menos mal para o Palmeiras que a vitória tenha sido alcançada. Mesmo que aos 54 minutos do segundo tempo- o árbitro, moroso a qualquer falta e a qualquer coisa foi o principal responsável por retardar o jogo-, em vitória dramática como fora contra o Jorge Wilstmann- contra o Peñarol foi uma cabeçada certeira de Fabiano, diante dos bolivianos, aos 50 minutos, uma entrada providencial de Mina.

De qualquer maneira, o Palmeiras volta a liderar o grupo, 7 pontos ganhos, um a mais do que o Jorge Wistermann, quatro a mais do que o Peñarol,  seis à frente do Tucumán. As perceptivas são boas.

Quanto ao jogo em si, o Palmeiras pecou demais no primeiro tempo, sem sair da marcação uruguaia. Como o Peñarol tinha poucos recursos, o gol saiu de uma cabeçada de Arias, depois de cobrança de bola parada. Na etapa final, no entanto, o Palmeiras voltou arrasador, com total domínio da partida e encontrando por duas vezes o caminho das redes, com Willian e Dudu. Guerra esbanjava bom futebol.

Mas aí  Borja perdeu o pênalti- batendo muito mal-, abateu-se o time parece que tmbém sentiu o golpe.Em seguida, Borja perdeu  outro gol, desta vez cara a cara, e foi substituído, mostrando-se insatisfeito ao dair, sabe-se lá se com com quem o tirou do time ou com ele mesmo pelas chances perdidas.

E o Peñarol empatou o jogo. Para surpresa geral. Outra bola alta na área, cabeçada, defesda de Prass e o chute fatal de Fernandez. Dentro das redes.

E como ficaria, então? Preocupação quase geral no estádio lotado, ainda mais coma expulsão de Dudu. Vitória jogada fora? Não, pois mesmo com dez jogadores, o Palmeiras não desistiu e alcançou tudo- vitória e liderança- na cabeçada de Fabiano para o fundo das redes.

E aí, foi só emoção!