Blog do Avallone

Palmeiras, a guerra da Libertadores. Santos, turbulência no mar.

Roberto Avallone

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

1-  Outro dia, dei minha opinião ao ser entrevistado por um repórter do site Globo Esporte sobre um tema sugestivo: quem é melhor, o Palmeiras campeão da Libertadores/99 ou de agora, que vai iniciar contra o Tucumán a saga da Libertadores/2017? Na comparação- que coincidiu com a opinião dos outros dois nobres entrevistados-, respondi que ficaria com o time de 99, depois de analisar individualmente jogador por jogador. Equipe que tinha, entre outros, Marcos, Arce , Roque Júnior, Júnior, César Sampaio- O ''Monstro do Parque Antarctica''- e o craque Alex era para fazer história mesmo.

O que não quer dizer que a turma de 2017 esteja condenada a ficar longe do sucesso. É certo que o time perdeu Gabriel Jesus (negociado com o futebol inglês), Moisés (vítima de grave contusão, seis meses longe dos campos) e na estreia também não terá Mina (suspenso) e Tchê- Tchê (em recuperação física).

Não é pouco.

Mas aí talvez exista a vantagem do Palmeiras atual sobre o de 99, o técnico Eduardo Batista conta com farto e sugestivo elenco, com o goleador Borja sendo o centroavante para o lugar de Gabriel Jesus, Guerra ou Michel Bastos para entrar no meio-campo, Edu Dracena como substituto de Mina. Quer dizer: dá para encarar o Tucumán, alguma dúvida?

E talvez em tempos de paz politica, pois a situação mostrou sua força ao confirmar no Conselho Deliberativo a eleição de Leila Pereira- presidente da patrocinadora do clube- em aclamação da expressiva maioria dos conselheiros- teve aprovada a sua eleição, vencendo pedidos de impugnação.

Não creio, pois é a terceira derrota do ano, sendo que em 2016 o Santos foi vice-campeão brasileiro e campeão paulista. Boa performance. Acontece que o elenco do Santos não é dois maiores e quando faltam Lucas Lima, Ricardo Oliveira e Renato, ah, aí o time que é bom quando joga completo, sente mesmo e acusa o golpe.

2- O Santos não está em fase de navegar em águas calmas: mais uma vez, o CT foi visitado por torcedores organizados a pedirem explicações sobre as derrotas; desta vez, pelo menos, a conversa tinha sido autorizado, pois ao que consta, a anterior visita de uma outra torcida uniformizada tinha sido na basa da invasão.

Isso resolve?

Essa situação de elenco apenas seria resolvida com grana farta, com contratações de jogadores de talento indiscutível. Para não ficar dependendo de apostas ou meninos da base. E não parece, pelo menos não parece, que o Santos tenha dinheiro sobrando para ir contratando craques por aí. E nem os craques estão sobrando no mercado.

Assim, o jeito é ter paciência. E esperar o Santos entrar em campo com seus melhores jogadores.