Blog do Avallone

Palmeiras: meu Deus! São Paulo: show! Santos: polêmica

Roberto Avallone

Foto:  Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

1- A impressão que ficou foi  a de que mesmo se quisesse jogar pior, o Palmeiras não conseguiria. Foi uma noite inigualável para a torcida palestrina essa em que o Palmeiras perdeu para o Ituano, em Itu. por 1 a 0. Foi uma equipe sem força, sem dinâmica ofensiva, sem opções de jogadas, enfim tudo aquilo que não esperava para um campeão brasileiro  ainda reforçado por preciosas peças do mercado.

Ao Ituano, restou lutar, correr- sem ligar para a arte ou preciosismo- e vencer. Com justiça. E o grandalhão Guly nem precisou saltar para  fazer, de caça, Ituano 1 a 0. Completamente livre.

Alguns jogadores do Palmeiras tiveram noite especialmente ruim, desencontrada, como por exemplo o capitão Dudu, que disputou uma das piores partidas de sua carreira. Acontece.

Mas se acontecer repetidas vezes- até agora o Palmeiras não fez uma só grande partida- é caso de se pensar. Tudo bem que o time não está completo, faltando Mina, Moisés, Tchê- Tchê  e o recém – chegado Borja. Esses fazem falta, muita falta. Só que não se justifica atuação tão pífia, mesmo sem eles.

A conferir.

Foto: Sérgio Barzaghi

Foto: Sérgio Barzaghi

2- O São Paulo deu um show- e ainda sem contar com Pratto e Jucilei- dentro e fora de campo: no gramado, goleou a retrancada Ponte Preta, por 5 a  2 (três gols do contestado Gilberto) em exibição irretocável; nas arquibancadas a torcida fez a festa, com mais de 50 mil tricolores que, apesar dos preços mais baixos, proporcionaram renda de mais de 1.300 mil.

Desde o começo, o São Paulo dominou a Ponte Preta, guiado pelo Meaestro Cueva e nem se abalou quando levou o gol de Matheus Jesus. A virada veio em seguida, com um gol de Cueva e outo de Gilberto, que se aproveitou de belo passe de Cueva. No segundo tempo, então, foi uma festa: mais dois gols de Gilberto, um de Thiago Mendes, tanto que Lucca comemorou até meio sem jeito o segundo gol da Ponte, que amenizou a dor da goleada.

Esse São Paulo de Rogério Ceni e Lucas Pratto promete muito.

Foto: Sérgio Barzaghi

Foto: Sérgio Barzaghi

3- Que o gol da vitória do Santos contra o Red Bull foi irregular, não tenho a menor dúvida. Além da polêmica se a bola entrou ou não, existe uma certeza: Kaike impulsionou a bola com o braço direito (falta clara) para o meio do gol.

Mas, a bem da verdade, não foi apenas o Red o prejudicado na partida. Antes, no segundo gol-que dava o empate de 2 a 2- o atacante Nixon estava em posição irregular quando cabeceou para o gol santista.

E então, elas por elas?

No duro, foi um belo jogo, intenso, movimentado, apesar do sol que cobria o Pacaembu. Tanto que o Red Bull acertou por três vezes as traves santistas, em prova que de fácil o jogo não teve nada. Opinião pessoal: Lucas Lima se desdobrou por todo o campo e fez a diferença para o Santos que tem aproveitamento 100 por cento até agora, dois jogos, duas vitórias.